sábado, janeiro 30, 2016

Waste Disposal Machine ao vivo

Os Waste Disposal Machine regressam aos concertos no próximo dia 6 de fevereiro, actuando na primeira edição da série Experimental Stages organizada pela Direito de Resposta - Associação Cultural, na Figueira da Foz.

WASTE DISPOSAL MACHINE
Sábado 6 fevereiro
DRAC (Direito de Resposta - Associação Cultural)
Ilha da Morraceira | Figueira da Foz
com Duvida 413 e Don't Surrender

http://soundcloud.com/wastedisposalmachine

quinta-feira, janeiro 28, 2016

THE PARTISAN SEED - 10 anos Fenther

Sabado 13 de Fevereiro - 16h.
Espiga - Galeria Bar

Mais um passo para os festejos do 10º aniversário do site de divulgação cultural www.fenther.net.

[ The Partisan Seed = Filipe Miranda ]
ANGELS ON THE BOARDWALK
“Depois de três álbuns e vários concertos dentro e fora de Portugal, The Partisan Seed lança a 17 Maio de 2014 um novo disco intitulado ‘Angels On The Boardwalk’.
Ao quarto álbum de longa-duração já não há muito para dizer sobre The Partisan Seed, o melhor é mesmo sentir. Este ‘Angels On The Boardwalk’ é um abraço renovado aos que acompanham Filipe Miranda neste trilho, ao mesmo tempo que dá as boas-vindas aos novos ouvintes, de braços abertos.
O álbum conta com a participação de Lisete Santos e Helena Ressurreição (vozes), Sérgio Mendes (guitarra), Pedro Oliveira (bateria), Guilherme Bogas (saxofone) e Paul Bond (piano e voz). Gravações de voz, instrumentos e field recordings captadas entre Portugal, Holanda, Marrocos e Bélgica, com engenharia de som a cargo de Filipe Miranda, João Coutada e Paul Bond. Misturado e masterizado por Paulo Miranda no AMP Studio.” – PR

http://www.thepartisanseed.net/

Telmo Pires apresenta o álbum " Ser Fado"

O fadista, poeta e compositor Telmo Pires edita, em Fevereiro de 2016, o quinto álbum da carreira, “Ser Fado”, disco em que cristaliza, de forma madura e coerente, a sua ideia muito própria de fado. Um fado que nele, e em contracorrente com algum do fado que se cria agora, está cada vez mais próximo das origens, das raízes, da tradição. Um fado que vive essencialmente da voz, da guitarra portuguesa e da viola, que congrega alguns dos grandes clássicos do género – o Fado Vianinha de Francisco Viana, o Alfacinha de Jaime Santos, o Triplicado de José Marques ou o Versículo e o Bailado do enorme Alfredo Marceneiro, com letras originais de Telmo Pires, Nuno Miguel Guedes e Daniel Lourenço  – mas que também se abre, por vezes, a outros instrumentos e a fados não tradicionais compostos por Custódio Castelo, Davide Zaccaria ou o revolucionário Alain Oulman, que abriu novos e aventurosos caminhos a Amália e ao fado. Aqui, em “Ser Fado”, Telmo Pires canta dele “As Mãos que Trago” e “Mal Aventurado”. Destaques do álbum são também uma versão alternativa do clássico “Rosinha dos Limões” – o “Marujo Português”, de Linhares Barbosa e Artur Ribeiro – e um inédito absoluto com música e letra originais de António Variações, “Ao Passar por Braga Abaixo”.

“Ser Fado” é o culminar do percurso coerente e peculiar de Telmo Pires, fadista que nasceu em Trás-os-Montes e que, depois de ter passado grande parte da vida na Alemanha, veio para Lisboa há cinco anos, deixando para trás a sua “zona de conforto” – o país que o acolheu ainda criança e que, já adulto, lhe proporcionou uma carreira de sucesso enquanto fadista, com um circuito regular de concertos na Alemanha e em países limítrofes como a Áustria, Polónia, Suiça, Luxemburgo ou França – e atirando-se, corajosamente, nas mãos do fado e da cidade que dele, o fado, foi berço.

O berço de Telmo Pires, por sua vez, foi Bragança, em Trás-os-Montes. Com apenas dois anos vai viver com a família na cidade industrial de Essen, na Alemanha. Vocalista de uma banda rock na adolescência, o fado entrou, porém, muito cedo na sua vida: em casa ouvia discos de Amália Rodrigues, Carlos do Carmo e Dulce Pontes, nomes fundamentais para a sua paixão pelo fado. E, enquanto estudava artes e línguas na universidade, ligou-se a uma companhia de teatro onde começou a apresentar espectáculos musicais em que cantava lieder alemães, clássicos da chanson française e fado. O seu primeiro álbum, “Canto” (2001), uma edição de autor, incluía estes três géneros. O segundo álbum – editado pela prestigiada editora alemã de jazz e world music Traumton Records – é “Passos” (2004), em que canta temas icónicos do fado (“Foi Deus”, “Povo que Lavas no Rio”, “Canção do Mar”…) ao lado de temas com música e letra da sua autoria. No terceiro, “Sinal” (2009, Monopol Records/Sony Music), arrisca interpretar fado – entre clássicos (“Maria Lisboa”, “Ovelha Negra”…) e originais seus – acompanhado apenas pela pianista alemã de jazz e música erudita Maria Baptist.

Já a viver em Lisboa, Telmo Pires edita “Fado Promessa” (2012, Traumton Records), em que se assume como o autor da maioria das letras – algumas sobre fados tradicionais, outras sobre temas compostos por ele ou por Davide Zaccaria, que produziu este álbum e se tornou seu cúmplice habitual. Em “Fado Promessa” incluiu ainda surpreendentes versões de “Verdes São os Campos” (José Afonso/Luís de Camões) e do instrumental “Tango to Évora”, da papisa da folk canadiana Loreena McKennitt, com letra em português de Telmo Pires e sob o nome “Os Navios”. Agora é a vez de “Ser Fado”, um disco em que Telmo Pires, embora sem esquecer o seu lado cosmopolita e de cidadão do mundo, parte à redescoberta das tradições mais profundas da canção popular de Lisboa. De um fado antigo que é, na sua voz, sempre novo.

Ser Fado - Alinhamento


1-  Pode Ser * Letra: Telmo Pires - Musica: Francisco Viana | Fado Vianinha
2 - Amor Escondido * Letra: Daniel Costa-Lourenço - Musica: Jaime Santos | Fado Alfacinha
3-  No Meu Olhar * Letra: Telmo Pires - Musica: Alfredo Marceneiro | Fado Versículo
4 -  Ao Passar por Braga Abaixo * Letra | Musica: António Variações
5 - As Mãos que Trago * Letra: Cecília Meireles - Musica: Alain Oulman
6 - Fado Fantasma * Letra: Nuno Miguel Guedes - Musica: José Marques | Fado Triplicado
7 - Mal Aventurado * Letra: Bernadim Ribeiro - Musica: Alain Oulman
8 - Desfeito * Letra: Telmo Pires  - Musica: Davide Zaccaria
9 - Marujo Português * Letra: Linhares Barbosa - Musica: Artur Ribeiro
10 - Ausente * Letra: Jorge Fernando - Musica: Custódio Castelo
11 - Amanhã no Mar * Letra: Tiago Espírito Santo - Musica: Davide Zaccaria
12 - Silêncio no Meu Coração * Letra: Telmo Pires  - Musica: Alfredo Marceneiro | Fado Bailado
 
http://www.telmopires.com/

Brito Ventura & Os Desalinhados “Outra Vez” editado nas plataformas digitais em Fevereiro

“Outra Vez” marca o regresso de Brito Ventura ao mundo das canções: aquele momento, em que, assumindo o seu lado mais intimista, escreve sobre a vida e os seus desencontros sob a forma de canções, num acto de libertação que lhe reconduz à verdade da condição humana.

Musicalmente “Outra Vez” mantém a linha de coerência do seu antecessor, com uma maior preponderância da componente electrónica mas em que a lealdade ao modelo mais acústico continua presente.
Trata-se de um conjunto de canções simples e melódicas, em discurso directo, em que a linha musical tenta acompanhar a par e passo a cadência das palavras, numa unidade que se deseja coerente e compacta.

“Outra Vez” é pois um disco despido de pretensões, em que o simples prazer de fazer musica, emerge a cada faixa que se escuta…outra vez!

“A Vida São Dois Dias” é o single de apresentação.

https://m.facebook.com/Brito-Ventura-Os-Desalinhados-415272335226864/?fref=ts

Farol Música

segunda-feira, janeiro 25, 2016

Arte & Oficio - Bio

In the summer of 1975 Antonio Garcez ( vocals) and Sergio Castro (bass), the Psycho , outlining the plan of a unique band in the autumn of that year would see the first results . Invite Álvaro Azevedo (drums), Sergio Lamb (guitar) and Joey Rocha ( piano) and form Arte & Oficio . [3 ] All the elements were integrated other bands which brought wide experience and professionalism them in the musical field. [4 ] They practiced a bold and innovative sound marked by progressive rock, sung in English , fusing hard rock with jazz . [ 5 ]

Perform the first concert at Junction where it is revealed a vocalist with remarkable stage presence: Antonio Garcez. [4] In May 1976 participating in the 1st Rock Festival of São João da Madeira, marking the debut of the new element: Leonel Ferreira (violin). Joey Rocha would leave the band shortly after. On July 3, 1976 held memorable concert in Oporto with the Town Hall as a backdrop. [5] Joins the band guitarist Fernando Nascimento and goes Leonel Ferreira. Returning to work as quintet, the Arte & Oficio sign contract with Orpheus publisher and record four themes spread over two singles editing, respectively, before and after the summer of 1977. "Festival" with "Let Yourself Be" on the B side oncerts, ending his career performing the last concert on May 14, 1983 in Vagos. [5] leave the legacy of one of the leading exponents of progressive rock and jazz music made in Portugal. [1] 6] marks the debut record of the band and achieves great success. The second single, the song "The Little Story Of Little Jimmy", [7] demonstrates the Garcez voice capabilities while in "Quibble" experience funk sound, proving to be a group in constant evolution, only concerned with the creative side . [5] make the first part of the Can concert at the Sports Pavilion and Lisbon can overshadow the famous Teutonic band. The magazine Music & Sound assign the article the title: "Art & Craft - The Can of success." [4]

In 1978, already consolidated status, are in great demand for shows. Launch "Come Hear The Band", [8] the maxi single first made in Portugal, a strong rock to which the Portuguese were not used, coming from national bands. [4] The B-side comprises the instrumental "The Chicken Cargarejo ". The album reached the top spot of the national sales top in Portugal, deserving featured in Billboard magazine and comes to pass in North American radio stations. [4] Packaged for success, edit in 1979 the first and acclaimed album Faces, [9] with the participation of pianist Antonio Pinho Vargas would become an integral member of the band. It is a job, as the title indicates, with two distinct faces: progressive rock with blues influence on the side X and jazz rock with funk approach to the Y side Integration of various rock styles of the repertoire was well patent. The concerts are becoming more and Antonio Garcez is proving to be a real "stage animal". [4] In June and July of that year perform "Lois Rock Tour", the first rock band becoming to do a national tour virtually consecutive concerts. [2] also form the first part of the concert of the Stranglers September 28, 1979 at the Dramatic Cascais. [5]

With guaranteed and consolidated sales success, the band suffers a blow with the departures of Serginho lamb and Antonio Garcez due to misunderstandings. Philip Mendes Garcez would form the Roxigénio in 1980. [10] Art & Oficio lose scenic attraction of the Garcez performance and the consequent loss of fans. Recruit pianist André Sarbib and Sergio Castro takes the vocalization. Under the influence of Sarbib Pinho Vargas and the band reoriented the new compositions for jazz rock. [5] In 1980 they signed a contract with publisher Gira [11] and release the third single from unpublished titled "Marijuana". [12] It is a social intervention song to support the legalization of cannabis in the UK, becoming a mega success in live shows and which allowed them to follow in 1980, the tour Joe Jackson in Barcelona, ​​Cascais and Madrid. [5] The popularity of Art & Oficio went beyond national borders and deserves praise references either in the British Melody Maker either in the North American magazine Billboard. [2]

In the early eighties Portugal lived the beginning of the boom phenomenon of Portuguese rock and sales were concentrated on the disks in the language of Camões. [13] Sergio Castro and Álvaro Azevedo form the Workers Trade [14] to experience the rock sung in Portuguese and achieve huge success in the first editions. By contractual obligation with Polygram, these two musicians keep the parallel activity of both bands and depart for recording the second album of Arte & Oficio with the difficulties inherent in the situation of availability. The pianist André Sarbib no longer participated in this work, leaving the band in 1981. [5] In early 1982 is edited Danza [15] coinciding with the departure of António Pinho Vargas. The band returns to reinvent itself with the entries of keyboardist Jorge Filipe Santos and singers Kristiana Kopke and Benedicta Veloso. Highlighting the theme "On An Ankle", an electronic minimalism based on an original poem in English of Fernando Pessoa. [5] Run for a new national tour that would take them to Spain. [5] Though the album get into the top national sales, the band failed to maintain the regularity of concerts. The young people no longer clung to the rock sung in English. [4]

The November 13, 2010 the Art & Oficio are invited to gather for the concert in Belém Bar Café in Lisbon in honor of party to the bands of 60 , 70 and 80 , organized by the Portuguese Society of Authors . Also participated in the UHF , Xutos & Kicks , GNR , Taxi , Sheiks , Go Graal Blues Band , Quartet 1111, among others. [16 ] On 30 October 2014 meet again on stage for a unique concert at the House of Music in Porto. [17 ]

www.arte-e-oficio.com

Pedro Abrunhosa - Bio

Abrunhosa was born in Porto, Portugal. After studying at the Ruvina Music School, in 1972 he began his musical studies at the Music School of Porto, under the guidance of Professors Álvaro Salazar and Jorge Peixinho, in the subjects of Analysis, Composition, and History of Music, having already initiated his studies in the double bass. (He has often been approached by the Calouste Gulbenkian Foundation to attend and participate in the Meetings of Contemporary Music in that same institution.)

Once admitted into the "Conservatório de Música do Porto", he studied musical composition under the direction of Professor Cândido Lima. At that time, he was invited to take part in the Madrid Contemporary Music Group, under the direction of Spanish composer Enrique X. Macias. This afforded him the opportunity to take part in a series of shows performed in Portugal and Spain. In 1981, he received a diploma for the Courses of Musical Pedagogy from Belgian Professor Jos Wuytack.

In 1984, he went to Madrid to study with double-bass player Todd Coolman and with musicians Joe Hunt, Wallace Rooney, Gerry Nyewood and Steve Brown. In that same year, he finished the General Course of Composition in the "Conservatório de Música do Porto" and started studying double-bass with Alejandro Erlich Oliva.

In 1985, returning to Spain, he took part in the International Jazz Seminar, and worked again with Todd Coolman, Billy Hart, Bill Dobbins, Dave Schnitter, Jack Walrath and Steve Brown. In that same year, together with Spanish guitar player Joaquin Iglesias, he founded the quartet "Banda de Bolso".

In 1986, he returned to Spain to participate in the third International Jazz Seminar in Seville where he played with Bob Moses, Chip Jackson, Brad Hartfield, Hoku Kim and Stan Strickland. In Portugal, later that year, he participated in the Seminars of Direction and Interpretation of the Big Band. He was chosen as the double-bass player of the newly formed orchestra. He also participated in two other Jazz Seminars with Danish saxophonist John Tchicai and bassist Peter Danstrup and the American musicians Paul Motion, Bill Frisell, and Joe Lovano.

In 1987, he worked with David Liebman, Billy Hart, Ron Mclure and Richard Beirach in Barcelona. For one year, he taught double-bass at the Jazz School of Hot-Club in Lisbon. He also directed and produced the program "Até Jazz" in the "Rádio Clube do Porto". Later on, he joined Boulou Ferré, Ramon Cardo, Frankie Rose, Vicent Penasse and Tommy Halferty and extensively toured Portugal and throughout Europe. Additionally, he joined the Teacher's Quartet of Hot-Club of Portugal and Carlos Martin's Quartet.

He composed and recorded the music for the films "Amour en Latin", directed by Serge Abramovic, "Adão e Eva" directed by Joaquim Leitão, and "Novo Mundo". He was awarded Best Soundtrack at the Madrid Film Festivalfor the latter . He also composed the music for the theatrical pieces "Possessos de Amor", "A Teia", and "O Aniversário da Infanta" (Oscar Wilde). He composed the soundtrack to the video "150 Anos do Bonfim".

He co-founded the Jazz School of Porto, where he taught Harmony, Auditive Training and Group Music, during three years. He assembled and has conducted the orchestra of the Jazz School of Porto, concomitantly, composing most of its arrangements.

He was a teacher at the Higher Arts School of Porto (Cine-Video area), where lectured on the Formation and Analysis of the Soundtrack and at the Caius Music School on Group Music and Musical Production.

He formed and directed the Cool Jazz Orchestra, a musical group essentially devoted to Rhythm & Blues. After three years of intense work it became "Pedro Abrunhosa e a Máquina do Som", performing original pieces, all of which were composed by Pedro Abrunhosa.

In 1994, with his new band, Bandemónio, he recorded his first album, Viagens for PolyGram. There, he had the opportunity to collaborate with James Brown's sax player – Maceo Parker.

He attained triple platinum, a challenging achievement in the Portuguese market, with over 160,000 copies sold of "Viagens", as well as performing over 120 concerts across Portugal, the United States, Brazil, Macau, Spain, Luxembourg, France, and Italy, amongst others. It is estimated that he performed before a million spectators.

Under the band name "Pedro Abrunhosa e os Bandemónio", the album F was released. A book illustrating the adventures and trips of the group was also released. The book enjoyed the collaboration of two prestigious individuals in the literary and photographic worlds, respectively: Nuno Galopim and Kenton Thatcher. (www.kentonthatcher.com)

In December 1994, the American music magazine "Billboard" gave him front page billing, sparking the start of his international career.

In September 1996, he went to Memphis and Minneapolis where he finished the final phase of mixing and mastering of his second album. It was recorded in Porto, Lisbon, Memphis, and Minneapolis. The final mixing process, as well as a substantial portion of the rhythm and voice recording were supervised by Tom Tucker, technical director of Paisley Park and chief engineer on Prince's latest albums.

Supported by his label – PolyGram – he invited The New Power Generation Horns to collaborate on this album, formed by Kathy Jensen, Kenni Holmen, Michael Nelson, David Jensen, Steve Strand, Ricky Peterson and Paul Peterson (these last two being Prince's keyboard player and bassist). He also collaborated with Ozzie Melendez (Tower of Power), Carlos do Carmo, Opus Ensemble, and Rui Veloso. "Tempo" ("Time"), was launched at midnight on November 11, 1996. After its first week on the shelves, the album went double platinum with more than 200,000 copies sold in Portugal.

He started his new tour "Tempo Tour 97/98", with concerts across Portugal, as well as in France, Canada, Switzerland, Brazil, and the United States. In order to further the internationalization of his work, he went to Madrid, Paris, and London to record some of "Tempo" tracks in Spanish, French, and English.

In May of that same year, he returned to London, to film the video "No Way", with the collaboration of Tony Vanden Ende.

He composed the music and authored the script for the musical "O Rapaz de Papel" ("The Paper Boy"), presented to the public in March 1998, integrated into "O Festival dos Cem Dias" (The Hundred Day Festival") and preceding the opening of Expo 98.

He produced the solo debut album by vocalist Diana Basto, Amanhecer ("Dawning"), published by PolyGram. He was responsible for the lyrics and music. It was recorded together with Tom Tucker, and was mixed and mastered in Minneapolis and Los Angeles.

He was invited by Caetano Veloso to integrate his show in Expo 98 that has, so far, broken all the booking-office records.

Invited by Expo 98, he performed his show at the Sony Plaza in September. It was the only performance from Portugal's Expo 98 which was broadcast all over the world.

He was later invited to participate in the Manuel de Oliveira film, "La Lettre" ("The Letter"), together with Chiara Mastroianni and Françoise Fabian, where he undertook the leading role. The film was awarded the Prix du Jury in the 1999 Cannes Film Festival.

He produced his third album of originals Silence, finished in November 1999, which includes the presence of Caetano Veloso's percussionists, Nina Miranda (of Smoke City) and the strings section usually used by Radiohead and dEUS.

He won four Blitz Awards: Record of the Year, Artist of the Year, Best Song, and Best Group. A Bordalo, an award given by the press; a Globo de Ouro ("Golden Globe") awarded for the song “Se Eu Fosse Um Dia O Teu Olhar”; and five Nova Era Radio awards, given by radio stations and institutions.

In 1999, he gave a number of lectures throughout Portugal, mostly in libraries, schools, and universities, on topics related to artistic production and creation, literature, music and cinema. Some of lectures were published.

In 2002, he performed two shows at the Cultural Center of Belém, after a one-year hiatus. “Intimidade” was received favorably by the critics and public alike. The show, backed by IPAE, toured Portugal and proved to be an artistic and box-office success.

His latest album,[when?] Momento, was written and composed solely by him. It has the participation of the Helicon String Quartet. Manoel de Oliveira, the famous Portuguese director, directed the short film "Momento", as a video for the first single and title track off the album.

In Portugal, Momento reached double platinum, and was the most played album on radio. Pedro Abrunhosa released the album in Brazil through Universal, with the participation of local artists such as Zélia Duncan, Lenine, Sandra de Sá, and Adriana Calcanhoto. (His songs are performed in Brazil by a number of artists such as Elba Ramalho, Zeca Baleiro, Sandra Sá, and Rio Soul or Syang, among others.)

His first DVD, Intimidade went double platinum in just 2 weeks.

Currently,[when?] he is recording and preparing the release of his new album, along with a tour that will run through Portugal, Brazil, Italy, Germany and Switzerland. He is a standing board member of the Portuguese Authors Society.

Since April 12, 2010, his album "Longe" (meaning "Far away") is available in the stores, time when it was also released its latest website – http://www.abrunhosa.com/. The appearance of the site is modified according to the time of the day when you visit it, accompanied by sound effects adapted to time and place that the background images evoke. It was a project developed by two companies of Oporto (Portugal): Basepoint (Development) – http://www.basepoint.pt – and Campo Visual (Design) – http://www.campovisual.com -.

Personal life

Pedro Abrunhosa is guarded about his personal life.

http://www.abrunhosa.com/

Arte & Oficio - "Contradiction"


http://www.arte-e-oficio.com/

Pedro Abrunhosa & Comite Caviar - "Entre a espada e a parede"


www.abrunhosa.com

Concurso de bandas de Palmela

Concurso de bandas amadoras do concelho de Palmela
Inscrições no Warm up "Março a Partir" alargadas até 31 de janeiro

Foi alargado, até 31 de janeiro, o prazo para as inscrições no 1.º Warm Up "Março a Partir" - concurso de bandas amadoras do concelho de Palmela, promovido pelo Município com associações juvenis. Destinado a projetos musicais coletivos ou individuais amadores, em que, pelo menos um dos elementos seja do concelho de Palmela, o concurso contará com duas eliminatórias (20 de fevereiro, em Palmela, e 27 de fevereiro, no Pinhal Novo, com votação on-line entre 20 e 27), e a final, a decorrer a 12 de março.
As inscrições implicam o envio de uma maqueta com três temas (um deles obrigatoriamente original). O júri, constituído por representantes da Câmara Municipal de Palmela, do grupo de trabalho do projeto "Março a Partir" e do Festival da Liberdade, bem como por um músico profissional e um radialista, selecionará oito maquetas efetivas e duas suplentes. Em cada eliminatória e na final, será, também, sorteado um elemento do público para integrar o júri.
Esta é uma oportunidade privilegiada de divulgação e apresentação pública dos muitos projetos musicais, das mais diversas vertentes, que desenvolvem a sua atividade no concelho de Palmela. O vencedor participará no Festival Liberdade 2016 e receberá 300 euros para aquisição de material de música, o segundo classificado receberá 150 euros para material, e o terceiro, 50 euros. Os três finalistas terão direito a uma gravação gratuita de quatro horas, na Sala de Ensaios CAVE. Haverá, ainda, uma oferta de participação destinada a todas a bandas selecionadas (com exceção das bandas suplentes) e não premiadas no âmbito do concurso.

https://www.facebook.com/events/654550068019770/

João Afonso ao vivo na Damaia dia 30 janeiro

Três autores, dois escritores e um músico/cantor, sem pátria definida. Uma pitanga de verde mar construída como uma narrativa de histórias e mistérios de Mia Couto e de José Eduardo Agualusa com a musicalidade de João Afonso.
São canções de amizade, fraternidade, de amor e contos sobre o paradigma perdido da infância. São afirmações com melodia de uma identidade lusófona, sem raça, com estradas de terra, cacimbo e lagartos ao sol numa grande casa branca. Um domínio de afetos humanos musicais entre Portugal, Moçambique e Angola.
É um trabalho de sonoridades híbridas, mas únicas, que ficaram no subconsciente coletivo de pessoas que se cruzaram num espaço nosso e que existe entre os três povos tal como entre os autores.
Há como a invenção de um novo território, onírico, traduzida nas diversas colaborações entre autores e músicos, com a riqueza dos arranjos de Vitor Milhanas a realçar esta sonoridade lusófona.
A voz de João Afonso, também ele fruto da história pois é um músico luso/moçambicano, numa combinação perfeita com dois amigos, dois escritores, poetas consagrados e de grande qualidade: José Eduardo Agualusa, de Angola, e Mia Couto, de Moçambique.

Dia 30 janeiro no cine-teatro DE.João V na Damaia pelas 21:30h

Margarida Soeiro ao vivo na Damaia

Margarida Soeiro representa uma das formas mais genuínas e carismáticas que o fado tem. Primeiro as tertúlias, os grupos de amigos depois as casas de fado, mas aquelas casas de fado onde a canção de Lisboa se canta de uma forma livre e espontânea. O seu repertorio revisita alguns dos nomes mais importantes da história do Fado, sejam eles os interpretes, os poetas e os compositores, defendidos com uma capacidade de interpretação única, sem invenções, de uma forma simples e linear mas tão contagiante, como é a própria canção de Lisboa.
 Dia 29 janeiro, ao vivo no cine-teatro DE.João V na Damaia pelas 21:30h


domingo, janeiro 24, 2016

Albert Collins - "Iceman"


  CANDIDATURAS ABERTAS ATÉ 7 DE MARÇO PARA TODOS OS MUSIC-MAKERS!  


A Red Bull Music Academy vai rumar a Montreal no próximo outono para a 18ª edição de um dos acontecimentos mais importantes do underground sónico global. Num regresso ao Canadá após a lendária edição de Toronto em 2007, a Academia vai voltar a juntar uma selecção beatmakers, instrumentistas, rappers, DJs, produtores e vocalistas emergentes de todos os cantos do mundo.

A fase de candidaturas começou esta semana e está aberta até dia 7 de Março. Se estás a ler estas linhas e és um produtor-de-quarto, um digger convicto, um vocalista ou instrumentista com ideias, visão e vontade de partilhar, então estás convidado a preencher a Application Form para te candidatares à Red Bull Music Academy 2016. Podes saber mais detalhes e fazer o download da ficha de candidatura em http://apply.redbullmusicacademy.com - e depois de a preencheres com toda a alma e honestidade, envia-a juntamente com um CD com a tua música para o quartel-general da academia até à data limite. Todos os envelopes carimbados pelos correios com data até dia 7 de Março, inclusivé, serão considerados.

Os artistas seleccionados passarão duas semanas na metrópole canadiana, rodeados de mentes inovadoras de várias nacionalidades, com quem partilharão estúdios topo-de-gama para criar música nova e com quem também poderão assistir a lectures e workshops com algumas das figuras mais importantes da música que importa ouvir. Quando a noite cai, há performances dos participantes e lecturers, num ambiente inesquecível de celebração e conquista de novos terrenos criativos.

Tirem o pó dos vossos hard-drives cheios de música incrível que nunca viu a luz do dia, peguem nas vossas canetas e puxem pelo coração (e pela imaginação) … Montreal is calling!

 www.facebook.com/redbullmusicacademy

Joana Amendoeira ao vivo

Joana Amendoeira vai estar no dia 5 de Fevereiro em Vila Real e no dia 6 de Fevereiro em Lamego para apresentar o seu novo disco, “Muito Depois”, que marca o regresso da fadista aos álbuns de originais.
Este trabalho, que conta com o apoio da Associação Mutualista Montepio, reflecte mais de 20 anos de fado inclui temas de diversos autores, letristas e compositores da actualidade. Neste trabalho destacam-se nomes como Tiago Torres da Silva, Joaquim Pessoa, Vasco Graça Moura, António Quintino e Pedro Amendoeira, ou fados tradicionais de Amadeu Ramin, Fernando P. Coelho e Acácio Lopes.
Com produção do poeta Tiago Torres da Silva, ”Muito Depois” foi enriquecido com diferentes matizes dos convidados especiais; Pedro Jóia na guitarra, Filipe Raposo no piano, e a voz incontornável de Paulo de Carvalho, com quem Joana Amendoeira gravou o primeiro dueto da sua carreira.
A estes convidados junta-se o núcleo de músicos da fadista, composto por, Pedro Amendoeira na guitarra portuguesa, Rogério Ferreira na viola de fado, e António Quintino no contrabaixo que nos próximos dias 5 e 6 de Fevereiro acompanham Joana Amendoeira em Vila Real e Lamego.



Mais dois concertos a não perder.

05 de Fevereiro | Zona Livre | Vila Real | 21:30h
Bilhetes 10 € (descontos para associados Zona Livre e Associação Mutualista Montepio)
Bilheteira

06 de Fevereiro | Teatro Ribeiro Conceição | Lamego | 21:30h
Bilhetes 10€  (descontos para associados Associação Mutualista Montepio)
bilheteira.trc@gmail.com
Site

07 de Fevereiro | Fnac Viseu | 16:00h
Showcase e sessão de autógrafos

www.joanaamendoeira.pt

Concurso de bandas Suberock em Espanha aberto a bandas Portuguesas

A Extremasound, uma associação  de San Vicente de Alcântara na província de Badajoz (Espanha) promove junto da Câmara Municipal Local o concurso de bandas "Suberock"

www.suberock.com

A organizacao espera para alem de bandas de Espanha, poder contar com "o maior numero de concorrentes portugueses na próxima edição" como diz a Associação.

O regulamento pode ser consultado neste link:
http://suberock.com/basesdelconcurso/

E a inscrição pode ser feita pelos emails:
estremasound@gmail.com
subrockfestival@gmail.com

Uma boa oportunidade para as bandas Portuguesas promoverem-se em Espanha.

Um evento em San Vicente de Alcântara - Badajoz - Espanha


sábado, janeiro 23, 2016

Keith Richards - "How I Wish"

www.keithrichards.com

Luis Jardim

Luís Alberto Figueira Gonçalves Jardim is a Portuguese percussionist, born in the Madeira Island, best known for his work with producer Trevor Horn.


Jardim is a cousin of Alberto João Jardim (former president of the regional government of Madeira)

Musical work

Jardim's career includes music composition, production, arrangements and studio work.

Beginning with ABC's debut The Lexicon Of Love in 1981/82, Jardim has worked extensively on projects with Trevor Horn, including with Seal[1] and on Grace Jones' Slave to the Rhythm. He produced 'Everything Could Be So Perfect', the debut album by Anne Pigalle for Horn's ZTT label. He played live at the 2004 Produced by Trevor Horn show and with The Producers in 2006/7.

He has worked with Madness (on Keep Moving and Mad Not Mad), Asia (on Arena and Aura), Claire Martin (Take My Heart), Yes, Sir Paul McCartney, The Rolling Stones,[2] They Might Be Giants, Clinks Turner, Mike Batt, David Bowie, Cher, Grace Jones, Björk,[3] Mezzoforte, Bee Gees,[1] Duran Duran, Robbie Williams, Elvis Costello,[4] Gareth Gates, Tom Jones, Alejandro Sanz, Nina Hagen, João Pedro Pais, Eros Ramazzoti, Diana Ross, Johnny Hallyday, Mariah Carey, Céline Dion, Sir Elton John, Cyndi Lauper, Gloria Estefan, Katie Melua, Modern Romance, Jeff Beck, Fish, Tina Turner, Roddy Frame, Billy Idol, Coldplay, David Gilmour,[5] and many others.

Work on Portuguese TV

Jardim became best known in Portugal after his appearance on the Portuguese version of Pop Idol and on other music talent shows on Portuguese television channels. He was then a judge on Uma Canção Para Ti (A song for you), a talent show for young people (between 8 and 15 years old) for two seasons. Currently he is a judge in "A Tua Cara Não Me é Estranha" (Your face seems familiar), a show where 8 Portuguese celebrities in the field of acting and music mime (vocal and physically, including resorting to blackface frequently) every week a randomly selected musician.

References

^ a b Strong, Martin Charles; Peel, John (25 October 2004). The great rock discography. Canongate U.S. p. 1338. ISBN 978-1-84195-615-2. Retrieved 25 May 2010. Cite error: Invalid tag; name "StrongPeel2004" defined multiple times with different content (see the help page).
^ Jagger, Mick; Loewenstein, Dora; Watts, Charlie; Philip Dodd (2003). According to the Rolling Stones. Chronicle Books. p. 352. ISBN 978-0-8118-4060-6. Retrieved 25 May 2010.
^ Strong, Martin Charles (2006). The essential rock discography. Open City Books. p. 93. ISBN 978-1-84195-860-6. Retrieved 25 May 2010.
^ Perone, James E. (November 1998). Elvis Costello: a bio-bibliography. Greenwood Publishing Group. p. 19. ISBN 978-0-313-30399-9. Retrieved 26 May 2010.
^ Miles, Barry; Andy Mabbett (1994). Pink Floyd - The Visual Documentary. London: Omnibus. ISBN 0711941092.

 

Paul McCartey com Luís Jardim

Orquestra Metropolitana de Lisboa


Solistas:

Anzhela Akopyan (violino), Strynckx (violoncelo), Savka Konjikusic (piano) e Catherine

Entrada Livre.

28 de janeiro às 18:30h no Auditório Maestro Frederico de Freitas em Lisboa.











sexta-feira, janeiro 22, 2016

Rolling Stones - "Don't stop"


Seal em 2015


Joe Cocker - You are so beautiful


DEOLINDA NOVO ÁLBUM "OUTRAS HISTÓRIAS" É EDITADO A 19 DE FEVEREIRO

Primeiro single chega às rádios amanhã

Chama-se "Outras Histórias" o novo trabalho dos Deolinda. O 4.º álbum de estúdio da banda, sucessor de "Mundo Pequenino" (2013), tem edição prevista para 19 de fevereiro. O primeiro single dele retirado, "Corzinha de Verão" chega à rádio amanhã, 20 de janeiro, dia em que é editado em todas as plataformas digitais.

"Mundo Pequenino" rendeu à banda mais um disco de platina, mais um Globo de Ouro, um Prémio José Afonso, bem como mais algumas voltas ao Mundo, confirmando assim a importância do trabalho dos Deolinda para a música portuguesa.

O seu novo trabalho, "Outras Histórias", registado em co-produção com João Bessa, traça alguns caminhos que ainda não haviam sido explorados no repertório e estilo da banda.

Para provar que "Outras Histórias" está mesmo repleto de outras histórias, a banda desafiou um leque surpreendente de convidados a enriquecer o repertório, com evidente destaque para a participação de Manel Cruz (Ornatos Violeta), que aparece em dueto com Ana Bacalhau, no tema "Desavindos" e de Riot (Buraka Som Sistema), numa inesperada colaboração em "A Velha e o DJ". A Orquestra Sinfonietta de Lisboa, conduzida pelo Maestro Vasco Pearce de Azevedo, com os arranjos para cordas escritos por Filipe Melo, é outra das presenças no disco.

O tempo é um conceito subjectivo. Aos Deolinda estes últimos três anos passaram a correr, mergulhados nos muitos concertos e projectos que tiveram. Para os fãs, três anos já foi tempo demais.

https://m.facebook.com/deolinda.oficial

Colton Benjamin - Sail Away


Farol musica


quinta-feira, janeiro 21, 2016

Janeiro na ACERT com estreia de Circus Lab

Não Tens Coragem?!
Um espetáculo do projeto Circus Lab onde o Novo Circo será foco particular.

A residência artística da Companhia Último Momento (França) que, com o Trigo Limpo e o Na Xina Lua (grupo de teatro da Escola Secundária de Tondela), constrói um espetáculo que faz parte da segunda fase do Circus Lab (projeto em parceria com o Teatro Viriato). Este constitui o momento do projeto ligado à reflexão e criação artística de raiz. Esta residência culmina com a apresentação no dia 22 de janeiro, na ACERT seguida da apresentação no palco do Teatro Viriato a 23, 24 e 25.

Sexta, 22 de janeiro às 21:45

https://m.facebook.com/acert.pt/

Portugal XXI | Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música | 23 Janeiro Casa da Música Ontem,

Quatro nomes consagrados da composição em Portugal reunidos num programa que dá mostra da diversidade da música sinfónica que se escreve nos nossos dias e que presta homenagem à acção da Câmara Municipal de Matosinhos em prol da cultura portuguesa. O programa abre com a estreia mundial de uma nova encomenda a Vasco Mendonça, nome destacado da nova geração de compositores em Portugal e com um percurso internacional de relevo. Luís Tinoco entra no domínio da escrita concertante, contando com a pianista Mei Yi Foo para a interpretação de Díptico. Pedro Amaral encerra o círculo de encomendas da Câmara de Matosinhos com Transmutations pour orchestre – la bibliothèque en feu, título que nos remete para uma tela de Vieira da Silva e onde o compositor presta homenagem aos grandes orquestradores que foram Bruckner, Wagner e Richard Strauss. De António Chagas Rosa escutaremos Antinous, obra para orquestra e quarteto de cordas estreada em 1994, nos Encontros Gulbenkian de Música Contemporânea, e que é apresentada pela primeira vez no Porto.




 
Orquestra Sinfónica
Do Porto Casa Da Música
Pablo Rus Broseta direcção musical
Quarteto de Cordas de Matosinhos
Mei Yi Foo piano

Obras de VASCO MENDONÇA, LUÍS TINOCO,
ANTÓNIO CHAGAS ROSA e PEDRO AMARAL

https://m.facebook.com/casadamusica?utm_source=e-goi&utm_medium=email&utm_term=Portugal+XXI++Orquestra+Sinfonica+do+Porto+Casa+da+Musica++23+Janeiro&utm_campaign=Newsletter+Casa+da+M%EF%BF%BDsica

ASSESTA – Associação de Escritores do Alentejo faz a apresentação pública e oficial no sábado à tarde APRESENTAÇÃO PÚBLICA DA ASSESTA | 23 JAN | 16H00 | BIBLIOTECA MUNICIPAL DE BEJA & FEIRA DO LIVRO ASSESTA | 18 A 22 JAN

Acontece no próximo dia 23 de janeiro de 2016, pelas 16 horas, na Biblioteca Municipal de Beja – José Saramago, a apresentação pública e oficial da ASSESTA – Associação de Escritores do Alentejo.

A ASSESTA é uma associação que nasceu da vontade de um grupo de escritores alentejanos ou com fortes vínculos à região, em promover a literatura nestas terras de horizontes desafogadas.

A ASSESTA tem como principais objetivos: realizar apresentações de livros e autores, organizar tertúlias temáticas, dinamizar oficinas de escrita criativa, desenvolver projetos literários de promoção e preservação da cultura alentejana, criar concursos literários para novos valores da escrita, fomentar espetáculos ligados à palavra (contos contados, poesias cantadas, etc.) e promover encontros literários.

A ASSESTA está sediada na Casa da Cultura de Beja, mas alberga autores de todo o Alentejo, porque esse é igualmente o seu espaço privilegiado de semeação literária.


Conteúdos da apresentação pública da ASSESTA


Palavras ASSESTA

Abertura da sessão - Paula Santos (bibliotecária)
Câmara Municipal de Beja – Vítor Picado (Vereador)
ASSESTA – Luís Miguel Ricardo (presidente da direção)
Convidados: Galopim de Carvalho e Paula Amendoeira (Diretora Regional da Cultura )
Animação ASSESTA

Participação de Joaninha Duarte (Alto Alentejo – Contos)
Participação de Jorge Serafim (Baixo-Alentejo – Narrativas)
Participação do grupo MaZéi (Alto Alentejo - Música)
Participação de Fernando Guerreiro (Alentejo Litoral – (Microcontos e contos)
Participação de Napoleão Mira (Baixo Alentejo – Poesia)
Durante a semana que antecede a apresentação, decorre no espaço da biblioteca uma mostra de livros de autores da ASSESTA e no sábado, dia 23, tem lugar a Feira do Livro ASSESTA / Sessão de autógrafos.


Contactos:
Assesta // Casa da Cultura de Beja // Rua Luís de Camões // 7800-508 Beja
assesta@sapo.pt // www.assesta.pt // https://www.facebook.com/ASSESTA2015
962908432 – Luís Miguel Ricardo (presidente)
968092689 – Fernando Évora (vice-presidente)
965562294 – Olinda P. Gil (vice-presidente)
962804294 – Vítor Encarnação (presidente da Ass. Geral)

Grutera apresenta "Sur lie" em Setúbal e Coimbra

Sábado, 30 Janeiro, 21h30  - Festival Círculo de Jazz de Setúbal
Domingo, 31 Janeiro, 18h00 - Casa das Artes de Coimbra


De "Sur lie" e de Grutera já muito se escreveu. O terceiro disco de Grutera foi editado em Novembro de 2015 e é certamente um dos mais bonitos discos com selo do ano passado.

"É um intuitivo. Alguém que explora o som da guitarra acústica de forma pouco convencional, quase performativa dir-se-ia, como se não utilizasse apenas os dedos, mas todo o seu corpo, como se a guitarra e o espaço envolvente jorrassem comunicação ao mesmo tempo."
Vitor Belanciano in Público



“Sur lie” é o sucessor de “Palavras Gastas” (2013) e “O Passado Volta Sempre” (2014) e saiu para o mundo a 1 de Novembro de 2015, com edição CulturaFnac e apoio do Guitarras ao Alto e do Esporão.
Depois de um primeiro disco na segurança do estúdio e de um segundo abençoado num mosteiro, o músico instalou-se com a sua guitarra no Túnel das Barricas da Herdade do Esporão para gravar o terceiro álbum, inspirado pela arte vinícola e pela planície alentejana.
A opção pelo Esporão foi natural. O Túnel das Barricas, onde nunca antes se tinha gravado um disco, é um espaço mágico, ou, como diz Grutera, “cada segundo é mais intenso aqui”. Uma intensidade que encontrou paralelo na vontade do Esporão em apostar em ideias diferenciadoras e de fazer da sua Herdade um ponto de encontro único entre cultura e enoturismo. Assim, na madrugada de 27 para 28 de Junho, a doze metros de profundidade, a guitarra de Grutera absorveu a textura e o aroma da adega e fez eco pelo Alentejo fora.

https://m.facebook.com/grutera1/?fref=ts

Festival Oeiras Crescendo Fest: 8, 9 e 10 de Abril 2016

Dias 8, 9 e 10 de Abril 2016:

Sexta: Dino D'Santiago + Les Triplettes de Lisbonne
Sábado: Cati Freitas + Miguel Amado Group
Domingo: Simone de Oliveira + Trama

www.ocf.pt

AIR NO NOS PRIMAVERA SOUND 2016

O duo francês Air é a primeira confirmação para a quinta edição do NOS Primavera Sound, que volta ao Parque da Cidade, no Porto, de 9 a 11 de junho de 2016.

Em plena época de comemoração de alguns dos seus grandes sucessos, com a reedição da banda sonora de “As Virgens Suicidas” e recordando o pop etéreo e a electrónica sedosa que marcaram a carreira depois de “Moon Safari”, Nicolas Godin e Jean-Benoît Dunckel estão de regresso.  

Embaixadores estabelecidos da elegância pop, usam o french touch mais inquieto e a electrónica súbtil como ponto de partida para construir imponentes sinfonias lunares. Vinte anos após a sua formação, o duo de Versailhes continua a ser uma das grandes referências da música francesa graças a trabalhos como “10.000 Hz Legend”, “Talkie Walkie” e “Love 2”.

Além dos projectos paralelos, como Darkel, lançaram em 2012 “Le Voyage Dans La Lune”, banda sonora moderna para o clássico cinematográfico de Mèliés. Em 2014, surpreenderam com “Music For Museum”, um EP inspirado nas obras de arte do Palácio de Belas Artes em Lille.

O Fã Pack FNAC NOS Primavera Sound 2016, que inclui o passe geral para a quinta edição do festival e um kit de boas vindas, está disponível pelo preço promocional de 90€ na FNAC e em fnac.pt

O passe geral para o NOS Primavera Sound 2016 está à venda pelo preço de 90€ e pode ser adquirido em bol.pt, Atrápalo, Seetickets, Ticketscript, Masqueticket, Ticketea, Portal NOS Primavera Sound e nos locais habituais (FNAC, CTT, El Corte Inglés, Worten, …). Está também disponível o travel package da Festicket que inclui, para além do passe geral, o alojamento durante os dias do festival.

https://m.facebook.com/nosprimaverasound?ref=hl

Novidades Red Bull

MOVIMENTO LUSO MADE > MAZE, CHICO DUB, JOAQUIM QUADROS e MCK

Agora na Vodafone.fm
Ano novo e uma nova vida para o Ginga Beat. O programa da Red Bull Music Academy Radio encontrou nova residência radiofónica nas frequências da Vodafone.fm e refrescou o seu elenco de participantes. Continuará, sete anos depois da sua nascença, fiel missionário da exploração e divulgação do underground do "movimento luso made". Semanalmente, todas as quintas-feiras às 22h, com origem em vértices distintos - Portugal, Brasil e Angola - a música lusófona continuará a ser o principal foco. Seja de que género ou de que orientação linguística for, é pertinente a partilha activa de todas as novidades transversais a estas geografias.

A emissão inaugural acontecerá ao vivo, no dia 28 de Janeiro, com o Musicbox transformado em estúdio de rádio, entre as 22h e as 4h. Este especial de seis horas é de entrada livre e com transmissão em directo na Vodafone Fm. Contará com a presença da nova equipa de hosts, actuações ao vivo, entrevistas, showcases e dj sets. Teremos em palco um eclético conjunto de artistas basilares do universo Ginga Beat. O cartaz será anunciado na Vodafone.FM e em Redbull.pt na semana da grande estreia.

O quarteto de principais intervenientes no programa será constituído por Joaquim Quadros, divulgador e insider das novas tendências da música nacional, e Maze, carismático Mc dos Dealema, já integrante do programa de há uns anos para cá, investigam tudo o que for relevante de norte a sul do país; como representante do continente africano, para encurtar a distância entre Angola e outros países PALOP do resto mundo, será MCK, o conceituado rapper e activista de Luanda; por fim, a fazer o eixo Portugal-Brasil, escolhido pelo preponderante papel que tem como um dos mais vanguardistas curadores da música brasileira, sediado no Rio de Janeiro mas também por dentro da cena paulista ou de Belo Horizonte, é Chico Dub o responsável.

O ano de 2016 tem então um novo motor para refrescar este triângulo intercontinental. O underground da música luso made, seja de matriz indie, house, hip hop ou techno, segue em constante movimento no Ginga Beat da Red Bull Music Academy Radio. Poderá ser ouvido online on-demand na Rbmaradio.com e todas as quintas, às 22h, na Vodafone FM (107.2 Lisboa / 103.0 Coimbra / 94.3 Porto). A ginga segue cada vez mais irrequieta. E parece que o global chegou aqui!

www.rbmaradio.com
www.vodafone.fm
(Lisboa 107.2|Porto 94.3|Coimbra 103.0 FM)


Carlos Mendes ao vivo

Carlos Mendes recebeu, em 2014, a Medalha de Honra da Sociedade Portuguesa de Autores, na cerimónia 'O Homem, o Músico e o Cantor', alcançando assim o pleno reconhecimento público, por uma vida dedicada à música e recheada de sucessos e de bons momentos.
Em 2015 o artista celebrou os seus 50 anos de carreira e, para comemorar a data da melhor forma, regravou algumas das canções mais emblemáticas do seu repertório, como “Amélia dos Olhos Doces”, “Ruas de Lisboa” e “A Festa da Vida”, em versões de voz e piano, evidenciando assim, da melhor forma, os seus dotes de cantor e intérprete.
Transpondo este conceito para a estrada, Carlos Mendes Mendes apresenta A Festa da Vida, um concerto intimista, em que o público é convidado a partilhar, de forma sincera, a sua vida repleta de histórias, de risos e celebrações que marcaram, inevitavelmente, a música portuguesa.
Este é um espetáculo diferente do habitual, mais íntimo, onde se canta e se conta, onde se ouvem risos e libertam emoções; onde se brinca com o passado e se sonha com o futuro. Uma voz. Um piano. Juntos, no grande palco da Vida, da Alegria e dos Afetos.
Carlos Mendes - um artista e um espetáculo absolutamente únicos. Dia 30 de Janeiro, no Teatro João d'Oliva Monteiro, em Alcobaça.

https://m.facebook.com/CantordaPalavra/?fref=ts

Fernando Tordo sobre a APC instrumentos


APC instruments


www.apc-instruments.com

quarta-feira, janeiro 20, 2016

Dorfeu ass. faz parceria com conservatorio de musica de Aveiro

Em parceria com a d’Orfeu AC, o Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Aveiro lança, este ano pela primeira vez, o Curso Livre de Música Tradicional. As inscrições estão a decorrer e as aulas iniciam durante o mês de fevereiro.

O Curso Livre de Música Tradicional arranca em Fevereiro e conta com uma ampla oferta de instrumentos como concertina (Artur Fernandes), percussão (Quiné Teles), gaita de foles (David Leão), guitarra portuguesa (Paulo Soares), cavaquinho (Daniel Cristo), canto tradicional (Catarina Moura), violino e rabeca (Emiliana Silva). Acresce aulas de tocata (Daniel Cristo e Artur Fernandes) e ginásio musical (Bitocas). Os alunos poderão optar por um dos três módulos, com diferentes durações semanais: apenas instrumento (45 minutos), instrumento e tocata (90 minutos), ou instrumento, tocata e ginásio musical (135 minutos).

As inscrições estão a decorrer no Conservatório de Música de Aveiro, podendo ser obtidas mais informações pelo telefone 234378770 ou na página oficial do Conservatório em http://www.cmacg.pt.



http://www.dorfeu.pt/
http://dorfeu.blogspot.com/
http://www.facebook.com/dOrfeuAC


d’Orfeu Associação Cultural
Instituição Cultural de Utilidade Pública  |  Estatuto de Interesse Cultural  | Medalha de Mérito Cultural

www.dorfeu.pt

terça-feira, janeiro 19, 2016

QUINTETO SANDRO NORTON Convida GARY BURTON | CCB a 17 Maio 2016

SANDRO NORTON traz a Portugal um dos mais conceituados músicos de Jazz da cena mundial GARY BURTON.

Burton, músico de um invejável palmarés que averba 6 Grammys e vários outros prémios de prestígio internacional, apresenta-se em concerto com um dos mais virtuosos músicos da atualidade, SANDRO NORTON, o terceiro guitarrista a quem Burton concede o privilégio de partilhar o palco, sendo os outros Pat Metheny e Ralph Towner!

A partilhar este palco estarão também Carlos Barretto, Mário Barreiros, João Salcedo e Luis Trigo, numa noite preenchida pelos repertórios de Gary Burton e o cd “Flying High…at the heart of it”, de Sandro Norton.




Sandro Norton – guitarras
Luis Trigo – violino, harmónica, acordeão
João Salcedo – piano
Carlos Barretto – contrabaixo
Mário Barreiros – bateria

Convidado especial
Gary Burton - vibrafone

BILHETES JÁ À VENDA:
Ticketline, Bilheteira do Centro Cultural de Belém, FNAC,Worten, El Corte Inglés, CC Dolce Vita, Galerias Campo Pequeno, Abreu, CC Mundicenter, CC MMM
Informações & Reservas Ligue 1820 (24h)

Bilhetes entre 10,00 € e 30,00 €

https://m.facebook.com/inhaemarialuis/?fref=ts

Diabo na Cruz | "Heróis da Vila" à venda no mercado digital

Os Diabo na Cruz arrancam o ano de 2016 com a divulgação de um inédito retirado das sessões do seu último álbum, o homónimo “Diabo na Cruz”.

“Heróis da Vila” tema inédito, misturado por Benjamim, é acompanhado de uma ilustração de Adriana Montes, está a partir de hoje à venda no mercado digital.

https://m.facebook.com/diabonacruz/?fref=ts

Sebastião Antunes & Quadrilha ao vivo

Após esgotar a primeira edição do seu mais recente álbum "Proibido Adivinhar", Sebastião Antunes & Quadrilha apresentam-se, ao vivo, no Centro Cultural Olga Cadaval, no dia 12 de Fevereiro. O espectáculo conta com as participações especiais de Virgul (Da Weasel), que está prestes a editar o seu álbum e aceitou, recentemente, o desafio de Sebastião Antunes para participar numa nova versão do tema "Proibido Adivinhar", Carlos Guerreiro (Gaiteiros de Lisboa), Fernando Pereira (Real Companhia) e vários elementos do Movimento Adufe em Lisboa. Para além de revisitar os temas mais antigos da carreira, o grupo vai, igualmente, viajar pelos temas do novo álbum "Proibido Adivinhar".

Sebastião Antunes vai, também, prestar homenagem à cantora Saharaui, Mariem Hassan, com quem partilhou o palco diversas vezes, em Portugal, Espanha e Argélia, neste espectáculo que pretende transmitir muitas das histórias intensas que o grupo tem vivido ao longo de mais de 20 anos de carreira.

Bilhetes à venda em Ticketline

Witness My Fall - Last Night on Earth - OFFICIAL VIDEOCLIP


https://www.facebook.com/witnessmyfall

Ricardo de Sá - "Vai ter de ser"


Farol Música

Pasadinha no Facebook

https://www.facebook.com/bandaPasadina

Banda Pasadinha no Soundcloud

https://m.soundcloud.com/bandapasadina

segunda-feira, janeiro 18, 2016

GUIdance | 04 a 13 fevereiro | Bilhetes já à venda | Toda a info em www.ccvf.pt CCVF

Em 9 peças que compõem o programa deste ano do GUIdance, há duas estreias absolutas: “Se alguma vez precisares da minha vida, vem e toma-a” de Victor Hugo Pontes (4 de fevereiro, Centro Cultural Vila Flor) e “Maremoto” de Miguel Moreira, Útero (6 de fevereiro, Centro Cultural Vila Flor).

Há duas peças que constituem recriações de duas obras e que são significativas como iniciáticas de identidades dos seus criadores: o português Miguel Moreira na sua relação em movimento entre a dança e o teatro com “Parede” (10 de fevereiro, Plataforma das Artes e da Criatividade) e “Kaash” de Akram Khan (11 de fevereiro, Centro Cultural Vila Flor).

Há ainda estreias nacionais – “Hyperfruit” de Ludvig Daae (6 de fevereiro, Plataforma das Artes e da Criatividade), “Je danse parce que je me méfie des mots” de Kaori Ito (dia 11, Centro Cultural Vila Flor) e “Golden Hours (as you like it)” de Rosas, Anne Teresa de Keersmaeker (dia 13 de fevereiro, Centro Cultural Vila Flor).

Por fim, o GUIdance apresenta ainda duas peças de referência do repertório de criadores nacionais, “Nevoeiro”, obra de 2013 de Luís Guerra (dia 13 de fevereiro, Plataforma das Artes e da Criatividade) e “Hu(r)mano”, obra de 2014 de Marco da Silva Ferreira (5 de fevereiro, Centro Cultural Vila Flor).

Reserve já no seu calendário! Os bilhetes já se encontram à venda.

-ASSINATURA GUIDANCE 2016-
35,00 eur (acesso a todos os espetáculos + uma visita às exposições patentes no Centro Internacional das Artes José de Guimarães)

www.ccvf.pt

sábado, janeiro 16, 2016

Bob Dylan - "Like a rolling stone"


Phil Collins - "Against all odds"


ZZ Top - Gimme All Your Lovin'


The campfire - Blazing Saddles


Rolling Stones - Honky Tonk woman


Keith Richards - "Trouble"


www.keithrichards.com

Heróis do Mar - "O inventor"


GUIÕES 2016 - Abriu!

GUIÕES - Festival Internacional do Guião Cinematográfico de Língua Portuguesa

Estão abertas as inscrições:

www.guioes.com

Associação Out.ra leva TÓ TRIPS ao Barreiro

Dia 22 janeiro pelas 22 horas no Auditorio Municipal Augusto Cabrita no Barreiro.
A entrada custa €5

Jantar de Reis na Associação SIRD

Dia 23 de janeiro 2016

Pelas 20:30h
12,50 Reis Magos

Com a banda Amadeus e um momento de Fados de Coimbra.

Contactos para reservas:
258402445
961941537

Rogerio Charraz & Rui Pregal da Cunha (Herois do Mar) - "Se me perguntas a mim"


Barbante no Bandcamp

https://barbante.bandcamp.com/

 MARAFONA apresenta o single "Chula da Alvorada"

A Marafona apresenta agora o seu tema “Chula da Alvorada”, primeiro single retirado do álbum de estreia “Está Dito”, que estará à venda muito em breve. “Chula da Alvorada” é uma canção original da Marafona, inspirada pelos ritmos trepidantes das chulas do Minho e baseada em quadras populares portuguesas, com um lado assumidamente interventivo e um refrão irresistível que vai deixar toda a gente com “ó tio, ó tio, quero ouvir ó tio, ó tio” no… ouvido. A Marafona é: Artur Serra (voz principal, adufe e berimbau), Gonçalo Almeida (guitarra portuguesa, cavaquinho, campaniça e trancanholas), Daniel Sousa (viola), Cláudio Cruz (contrabaixo) e Ian Carlo Mendoza (percussões).

https://m.facebook.com/MARAFONA.MUSICA

Bailarina Marta Chasqueira estreia “Sola” e Repõe “Identidade F”

No final deste mês, a coreógrafa e bailarina portuguesa Marta Chasqueira faz a estreia absoluta do seu novo espectáculo de flamenco “Sola” e repõe “Identidade F”, em que junta esta arte da Andaluzia ao nosso fado. Ambos os espectáculos são apresentados no Auditório Fernando Lopes Graça , em Almada: “Sola” no dia 30 de Janeiro, às 21h30, e “Identidade F” no dia 31, às 17h00.
Uma das maiores divulgadoras do flamenco em Portugal, Marta Chasqueira dedica “Sola” ao flamenco tradicional, espectáculo em que é acompanhada ao vivo por  Laura Castro (voz), Carlos Mil-Homens (percussão), Juantxin Osaba  ( guitarra). Mas, apesar desta arte centenária nascida no sul de Espanha ser a sua paixão mais antiga – foi através dela que venceu o galardão de Melhor Coreógrafa de Danças do Mundo atribuído nos Portugal DanceAwards, em 2009, e foi por ela que fundou a sua própria escola de flamenco, na Academia Artist --, Marta Chasqueira não esquece as suas origens e, arrojadamente, mistura o baile flamenco e a música de fado em “Identidade F”. Neste espectáculo, Marta será acompanhada pelos fadistas Sara Correia, Diana Vilarinho e Miguel Ramos, André Santos na viola de fado e Bruno Mira na guitarra portuguesa.
Durante os meses de Fevereiro e Março, “Identidade F” estará em digressão com espectáculos no Teatro-Cine de Pombal, dia 27 de Fevereiro, às 21h30 (com Marta a ser acompanhada por Diana Vilarinho, Miguel Ramos e Henrique Leitão na voz, João Silva na viola de fado e Henrique Leitão na guitarra portuguesa), no Cine-Teatro de Sobral de Monte Agraço, dia 5 de Março, às 21h30 (com Joana Melo, Diana Vilarinho e Miguel Ramos na voz, André Santos na viola de fado e Bruno Mira na guitarra portuguesa) e no Cine-Teatro de Torres Vedras, dia 30 de Março, às 14h00 (com Diana Vilarinho, Miguel Ramos e Henrique Leitão na voz, João Silva na viola de fado e Henrique Leitão na guitarra portuguesa).

https://m.facebook.com/marta.chasqueira.1

Rogerio Charraz ao vivo

Rogério Charraz apresenta-se no Fórum Municipal Romeu Correia (Almada), no próximo dia 23. Sobe ao palco do Auditório Fernando Lopes acompanhado pelos Irrevogáveis Paulo Loureiro (teclas), Jaume Pradas (bateria) e Carlos Lopes (acordeão). O espectáculo inicia-se às 21h30, e a entrada tem um custo de 6€.

Para além dos temas de "Espelho" e de "A Chave", o musico revela que irá tocar músicas novas, antecipando em palco canções do próximo trabalho discográfico, com edição prevista para a próxima Primavera, e que nas próximas semanas começará a chegar às rádios.

www.rogeriocharraz.com

terça-feira, janeiro 12, 2016

Manuel Melo apresenta novo Single

Manuel Melo irá apresentar o seu novo single no próximo dia 23 de janeiro, no Centro Olga Cadaval, em Sintra.

www.musicinmysoul.net

Biografia de Marta Dias

De ascendência portuguesa, são-tomense e goesa, Marta Dias nasceu em Lisboa. Desde cedo procurou conciliar mundos diferentes, quer através do aprofundamento das suas raízes, quer através de uma formação ampla e variada. Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, cursou canto no Conservatório de Setúbal e depois no Hot Clube de Portugal. Ao longo desses anos participou em espectáculos da CeDeCe – Companhia de Dança Contemporânea.

Yué, o seu primeiro disco, data de 1997. O título é uma apropriação de parte da célebre cantiga de amigo de D. Dinis, Flores do Verde Pinho, o que anunciava, na altura, a procura de novos quadros de referência para a música portuguesa. Aqui, o seu segundo disco, data de 1999 e é a primeira resposta a essa busca, remetendo para atmosferas africanas, brasileiras e jazzísticas.

A sua estreia em álbum, porém, é anterior e resultou de colaborações com dois dos mais estimulantes projectos da década de 90: General D (Pé na Tchon Karapinha na Céu e Kanimambo) e Ithaka (Flowers and the Color of Paint e Stellafly). Participou ainda no álbum colectivo Composto de Mudança, de 2005, em que interpretou o tema Barca Bela, e no CD do grande guitarrista Fernando Alvim, Os Fados e as Canções do Alvim, de 2011, com o tema Luminoso. Convém lembrar ainda o dueto com Ney Matogrosso, no âmbito dos concertos do Pão Music 2000, que levaram ao Brasil vários artistas portugueses em colaboração com artistas brasileiros.

Marta Dias manteve uma colaboração importante com António Chainho entre 1998 e 2005, tendo sido a voz mais ouvida do projecto A Guitarra e Outras Mulheres, um marco na história do fado em Portugal. Escreveu a letra de Fadinho Simples, o tema mais popular desse disco. E em Ao Vivo no CCB (CD de 2003) revisitou as muitas tournées pelo mundo inteiro que realizou com o virtuoso da guitarra portuguesa. As canções do disco têm letras suas e música de António Chainho.

Quantas Tribos, com data de lançamento no dia 05 de Fevereiro, é uma nova etapa no seu percurso, ao mesmo tempo que prefigura uma homenagem – a primeira com esta dimensão – aos poetas de São Tomé e Príncipe.

CD de Marta Dias

"QUANTAS TRIBOS": ALINHAMENTO E FICHA TÉCNICA

1. Socopé
(Maria Manuel Margarido/ Oswaldo Santos)
2. Ilha Nua
(Alda Espírito Santo / Oswaldo Santos e Marta Dias)
3. Ritmo Para a Jóia Daquela Roça
(Francisco José Tenreiro/Oswaldo Santos)
4. O Que Está Para Além das Brumas
(Fernando de Macedo Oswaldo Santos)
5. Os Rios da Tribo
(Conceição Lima/Oswaldo Santos)
6. O Vendedor
(Conceição Lima/Oswaldo Santos)
7. Descendo o Meu Bairro
(Alda Espírito Santo/Oswaldo Santos)
8. No Dia Em Que Te Foste Embora
(Maria Manuela Margarido/Oswaldo Santos)
9. Corpo Moreno
(Francisco José Tenreiro/Oswaldo Santos e Marta Dias)
10. Humanidade
(Alda Espírito Santo/Oswaldo Santos)


Ficha técnica:
Marta Dias – voz
Oswaldo Santos – guitarra clássica, composição
Yuri Daniel – baixo
Ruca Rebordão – percussões
João Frade – acordeão
Costa Neto – vozes
Convidados: Carmen Souza em “Os Rios da Tribo” e Kalaf em “Humanidade”
Gravação: Joaquim Monte, Estúdio Namouche, Fevereiro e Março 2015
Consultoria: Célia Aldegalega
Produção: Carlos Barreto Xavier
Management e agenciamento: Gustavo Daniel Dias, BigBitQUANTAS TRIBOS é regresso em origens, e um disco de convergências. Marta Dias, portuguesa que herda de Goa e de pai são-tomense, desde sempre se definiu por múltiplos. O seu historial prospetivo identifica-se por diversidades postas em jogo: elementos urbanos, contemporâneos e telúricos, saberes e sabedorias, intuições bem pensadas, sensualidade em equilíbrio com contenção, e interseções musicais e humanas.
   
Foram plurais os caminhos percorridos pela cantora desde YUE, o álbum de estreia em 1997. O single “Gritar” tornou-se referenciável entre percursos então encetados na música portuguesa. Ao segundo disco encontrava-se AQUI (1999), mas já projetava pontes improváveis de “Ossobó” a “Quase Fado”. E foi com o fado que Marta Dias correu mais mundo, cedendo-lhe o timbre mestiço e o jeito jazzy que guardou da escola do Hot Club de Portugal.

Mas se YUE invocava D. Dinis, QUANTAS TRIBOS convoca cinco poetas de São Tomé e Príncipe. Neste novo disco Marta Dias canta as ilhas perdidas na conjuntura dos séculos, como descritas por Alda Espírito Santo em “Ilha Nua” -um entre dez poemas que escolheu trazer para o palco da vida, num projeto pioneiro de homenagem a poetas de São Tomé e Príncipe.

Alda Espírito Santo, Conceição Lima, Fernando de Macedo, Francisco José Tenreiro e Maria Manuela Margarido já tinham escrito cada fragmento da narrativa ordenada por Marta Dias. De versos envoltos em insularidade e azul extenso, como em “O que está para além das brumas”, ao retrato alegre de menino ardiloso mas parcimonioso, de “O Vendedor”, passando pela languidez da colonial D. Joia, dona de tudo o que é triste, Marta Dias propõe uma visitação (en) cantada às ilhas dos verdes longos de “Socopé”.

Talvez faminta de irradiação humana, Marta Dias partilha canto com Carmen Souza em “Os Rios da Tribo” -onde encontra o título do CD- e com Kalaf em “Humanidade”. Com Carmen Souza enuncia nomes próprios oriundos das várias tribos são-tomenses, produzindo um divertido diálogo; com Kalaf dirige uma mensagem a esferas humanas sem corredores estanques.

Os dez inéditos compostos por Oswaldo Santos, compositor e guitarrista clássico são-tomense radicado em Londres – ilhéu na ilha- exibem uma paleta de sonoridades que evoluem do registo nostálgico ao exuberante, emergentes da sua interioridade insular e do manejo de ritmos são-tomenses, a que acrescenta o virtuosismo da guitarra, consolidando a identidade do disco. Marta Dias também se aventura na composição, colaborando em “No Dia Em Que Foste Embora”, “Corpo Moreno” e “Ilha Nua”.

Carlos Barreto Xavier tudo entendeu e articulou, ou não fosse já de décadas a cumplicidade de Marta Dias com o produtor cujo curriculum inclui colaborações com muitos projetos nacionais destacados, e com referências internacionais como Jonathan Miller (Wham/George Michael) ou Darren Allison (Skunk Anansie). As prestações de Yuri Daniel, Ruca Rebordão, João Frade e Costa Neto rematam a magnífica musicalidade que rima com os versos dos poetas de QUANTAS TRIBOS.

QUANTAS TRIBOS é um ensejo de viagem por estados de alma, condição humana, ecos do passado e ritmos presentes, raízes e frutos, amorosamente mapeada por Marta Dias, que interpela a multiplicidade num disco uno e inteiro predestinado a memória futura.




João Martins no youtube

https://m.youtube.com/channel/UCIFY7T9mI7DbWFa7FyFM7bw

domingo, janeiro 10, 2016

Moody Traffic com novo disco

Qual é o ponto em comum entre o ano de 2014 e 2016?
A resposta é "Sharks Are Confused", o nome do disco de estreia dos conimbricenses Moody Traffic.
O quinteto gravou o disco em Março de 2014. Por diversos motivos o trabalho foi ficando na prateleira e só agora, quase dois anos depois, surge a oportunidade de se dar a conhecer melhor.
Aproveitem para o ouvir "Sharks Are Confused" com atenção porque se espera que em breve os Moody Traffic nos possam dar a ouvir um novo trabalho.




Madly-Go-Round
"Sarks are confused" (2014)
1. Gruesome Aftermath & Operation Dazzle
2. Operation Dazzle
3. Strings
4. Madly-Go-Round
5. Back to The Ships
6. Spiral

Gravação: AMP Studios por Paulo Miranda
Letras: João Domingues e André Couceiro
Música: Moody Traffic
Trompetes e trombone em Madly-Go-Round: João Dias, João Brásio e André Pimenta

https://m.facebook.com/MoodyTrafficBand

sexta-feira, janeiro 08, 2016

John Lee Hooker + Eric Clapton + Rolling Stones


Santana - "Blues for Salvador"


Bob Dylan - "Knockin' on heaven's door"


Xico Malheiro e Paulo Rocha na TV Galiza


Alunos da Academia de Guitarra de visita à excelente marca de instrumentos APC

 

Que por acaso é Made in Portugal - Braga

Castelo S.Jorge - Lisboa - No Facebook

https://www.facebook.com/CASTELO-DE-S-JORGE-127972983902935/?ref=ts&fref=ts

Com muitas actividades. Vale a pena visitar. Não só o Facebook, claro.

Chico Gouveia na viola Braguesa


Facebook do multi-instrumentista Chico Gouveia

https://www.facebook.com/chico.gouveia?ref=ts&fref=ts

Isaura + Francis Dale na casa das Artes de Famalicão dia 23 de Janeiro

​ ​ BIO
Isaura \ Francis Dale são duas promessas da nova música portuguesa que se deixam descobrir num espectáculo conjunto em que apresentam “Serendipity” e “□ – square”, respectivamente. Sobem ao palco Fred Ferreira (Orelha Negra, Banda do Mar, 5:30) e Ben Monteiro (D’Alva, Ana Cláudia) para integrar a banda que viajará por Portugal até 4 de Março de 2016, altura em que actuam na primeira edição do Lisboa Dance Festival.
“Isaura \ Francis Dale são duas verdades singulares, duas perspectivas do mesmo espaço e do mesmo lugar. É o estar bem e o estar mal, é o gostar mas não compreender, é o querer mas não aceitar, é o precisar mas não consentir. Protagonizam uma história para nos lembrar de quantas vezes falamos sem nos conseguirmos verdadeiramente explicar; de quantas amizades se perdem na falta de harmonia e de quantos amores se apagam depois de lutar simplesmente porque se chegou ao fim. Francis Dale tem sol, Isaura tem sombra; Francis Dale canta a força de ficar, Isaura o desalento de partir. Estão lado-a-lado sem se ver e sem se tocar; guardam as cores que trocaram.”

https://www.facebook.com/isauramusic

https://www.facebook.com/francisdalemusic

Lucky Lupe no Sabotage Rock Club

Lucky Lupe é um duo instrumental que viaja pelo indie rock, post-rock e prog pop. Criado em Portugal, em 2012, por David Ferreira (You Should Go Ahead / A Armada) e Tiago Salsinha, o projecto continuou no Brasil, em 2014, quando David Ferreira se mudou para São Paulo e conheceu Dri Rafael, actual baterista. Depois do lançamento em São Paulo, a dupla que faz parte da nova "onda instrumental" paulistana apresenta o seu disco de estreia em Portugal, amanhã, quinta-feira, 7, no Sabotage Club, em Lisboa. A primeira parte está a cargo de Rick Montalvor e KDM.

Entrada €5
Oferta de uma bebida

quarta-feira, janeiro 06, 2016

Eric Clapton - "Layla"


Já Fumega - "Ribeira"


“Borbolino”, espectáculo para a infância, em Aveiro

domingo 10 e domingo 17 Janeiro 2016
(sessões às 11h00 AM)
@ Livraria Gigões & Anantes | Aveiro
https://www.facebook.com/gigoeseanantes/




A criação d’Orfeu para a infância “Borbolino” apresenta-se em Aveiro, na livraria Gigões & Anantes, nos próximos domingos, 10 e 17 de Janeiro, pelas 11h00 da manhã. Dose dupla para crianças e famílias conhecerem o grilo cantor que, do livro, saltou para o palco!

Este espectáculo conta-nos a história de uma formidável amizade entre uma criança e um grilo cantor apaixonado, que juntos descobrem os valores mais importantes da vida. Um espectáculo sonoro e plástico interpretado por Ricardo Falcão, com encenação de Filipa Mesquita, que demonstra como podemos ser diferentes, mas criar laços infinitos e íntimos. É a adaptação para espectáculo de marionetas do livro infantil “Borbolino” de Odete Ferreira, que se encontra à venda na livraria Gigões & Anantes, bem como os bilhetes para os espectáculos de 10 e 17 Janeiro.

Mais sobre Borbolino:
http://www.dorfeu.pt/borbolino (o espectáculo)
http://www.dorfeu.pt/edicao/borbolino (o livro)

www.dorfeu.pt

Carlão apresenta Quarenta, um concerto que abre a temporada da programação do Novo Ciclo num ano que também a ACERT celebra os seus Quarenta Anos.

Carlão é um músico que deixou sinais inconfundíveis na música portuguesa. Os Da Weasel, conferiram-lhe uma merecida notoriedade e abriram caminho para uma contínua experimentação em apostas musicais com estilos e formatos diferenciados.
Chegado aos 40 anos, grava um novo disco a solo onde sublinha este número, mas é nos palcos que continua a afirmar a sua felicidade em continuar a conquistar o público com as propostas novas em que continua empenhado.

Sábado, 9 de janeiro às 21:45
Auditório 1, Novo Ciclo ACERT

https://m.facebook.com/acert.pt/

APÓS CONCERTO HISTÓRICO NOS ALIADOS, PEDRO ABRUNHOSA JÁ SE ENCONTRA EM ESTÚDIO A PREPARAR O OITAVO ÁLBUM

Finalmente o Porto. Foram precisas muitas voltas ao Mundo, físico e onírico, mais de 4.000 espectáculos, a partilha de alegrias pessoais e, quantas vezes, da dor, da perda que nos é comum, para desembarcar perante os meus, nestes Aliados transformados em Porto de Liberdade, de Afecto e de sólido chão. Foi uma espera que desaguou na vastidão das vontades que ali convergiram para, depois da treva, celebrar a luz. E o Porto, de todos os cantos do mundo chegado, pela noite dentro se abriu.
Pedro Abrunhosa


2015 realizou-se na estrada para Pedro Abrunhosa, com dezenas de concertos em Portugal e além-fronteiras, onde se apresentou nos EUA, Luxemburgo e França, passando duas vezes por Paris. Terminou com mais um momento histórico na sua carreira: o concerto de fim de ano no Porto, onde actuou para 160.000 pessoas, na Avenida dos Aliados.

A propósito da comemoração dos 20 anos da edição de "Viagens", Pedro Abrunhosa concebeu um espectáculo único, a que chamou "INTEIRO" e que apresentou em 2015 em primeira mão no Olympia, em Paris, e só depois de outro concerto no Rockhall, no Luxemburgo, chegou às maiores salas do nosso país – com uma noite na MEO Arena, outra no Pavilhão Multiusos de Guimarães e três no Coliseu do Porto.

Pedro Abrunhosa encontra-se agora em estúdio a preparar o oitavo álbum de originais.

https://m.facebook.com/PedroAbrunhosaFanClub

Gritali & os Tratantes - "Ecrã da TV"


www.gritali.blogs.sapo.pt

A MELHOR MÚSICA NACIONAL NO HARD ROCK CAFE COM A CURADORIA ARTE SONORA   SÉRIE DE CONCERTOS COM LUGAR ÀS PRIMEIRAS 5TAS DE CADA MÊS

Há poucos locais em Lisboa como o Hard Rock Cafe. Ali mistura-se uma marca de luxo com a evocação de um género musical místico e a marca dos gigantes da indústria musical emolduradas na arquitectura do espaço. Há poucos Hard Rock Cafes no mundo como o de Lisboa – com um palco!


E é nesse palco, tão incomum como atraente, que a Arte Sonora assume uma curadoria no vibrante espaço lisboeta ao longo de todo o ano de 2016.


 “É um privilégio receber no nosso palco bandas recomendadas pela Arte Sonora. Estamos muito contentes de dar início a esta curadoria com um parceiro de longa data do Hard Rock Cafe Lisboa e de tamanha relevância no panorama da música nacional”, salienta Mauren Faria, marketing manager do Hard Rock Cafe Lisboa.


Assim, ao lado das memórias do rock 'n' roll, nas primeiras 5tas de cada mês a Arte Sonora escolhe um dos emergentes e mais explosivos valores musicais portugueses para um concerto com entrada gratuita, pelas 23h.


E é dentro desse espírito que os Lotus Fever serão os primeiros a fazer Arte Sonora @ Hard Rock Cafe Lisboa, já no dia 7 de Janeiro de 2016!

www.artesonora.pt

Gisela João ao vivo no México em Janeiro

Gisela João inicia o ano de 2016 com dois espectáculos ao vivo na cidade de Mérida, nos dias 8 e 9 de Janeiro. Esta será a estreia da fadista em palcos Mexicanos.

As actuações encontram-se inseridas na programação do festival cultural Merida Fest, um festival de música, cinema e artes, que celebra também o aniversário da fundação da cidade situada na península do Yucatán, celebrando este ano o seu 474º aniversário.

No dia 8 de Janeiro, Gisela João subirá ao palco do Auditório Silva Zavala, no Centro Cultural Olimpo, pelas 20H. Já no dia 9, será a vez do palco da Plaza Grande, ou Plaza de la Independencia, onde, também pelas 21H, apresentará o seu último de dois espectáculos.


http://www.merida.gob.mx/festival/
http://www.merida.gob.mx/festival/programas.html
https://www.facebook.com/MeridaEsCultura/

https://m.facebook.com/like.giselajoao/

Tambor ao vivo em fevereiro 2016

https://m.facebook.com/tambormusic

"dobram os sinos mais uma vez" é o regresso de tambor aos palcos. Um ano depois, este evento encerra o circulo iniciado com o esgotadíssimo concerto do Salão Nobre do Mosteiro dos Jerónimos.
À formação mista de instrumentos de Câmara, Pop, Eletrónica e Percussão Tradicional, juntam-se outros companheiros de música para um concerto único, em acústico, para o Grupo e Coro.
De Cortina de Fumo a Electro Pop, são 15 anos de músicas, que fazem a carreira do tambor, (passando pela edição da gravação ao vivo em CD+DVD do concerto de janeiro passado), e que serão partilhadas com o Coro da Orquestra Extraordinária, num concerto acústico numa noite única.

5 de fev (6ª feira), 21h30
CineTeatro D. João V, Damaia
Entrada: 10€

"o espaço sem ti não é nada", masterizado nos estúdios Abbey Road e editado em CD+DVD.

Os tambor são:
Alexandra Valentim: Voz
Fernando Martins: Teclas / Guitarra
Miguel Teixeira: Teclas / Viola de Arco
André Tavares: Baixo / Violoncelo
David Jerónimo: Percussão
Pedro Mimoso: Guitarras

insch com a melhor atuação 2015 da Balcony TV Lisboa

A atuação de Home foi eleita inequivocamente pelo público e júri da Balcony TV como a melhor atuação de 2015, entre todas as bandas, projetos e artistas que passaram pela varanda de Lisboa, sucedendo a Youthless e Dan Riverman (2012), Noiserv (2013) e Vaga-Lume (2014). A Balcony TV, cujo lema é “Music With a View”, há 10 anos que tem como missão mostrar o que de melhor se faz em mais de 30 cidades mundiais, a partir de varandas icónicas, e conta com mais de 30 milhões de visualizações. Pela Balcony já passaram artistas como Ed Sheeran, The Script, Jessie J, Mumford & Sons, Nouvelle Vague, Biffy Clyro e muitos outros, que agora consagra os insch como melhor novo talento de 2015 em Lisboa.

https://m.facebook.com/inschmusic

sábado, janeiro 02, 2016

Recente disco de Camané eleito pelos criticos um dos melhores discos do ano

Os críticos nacionais são unânimes: “Infinito Presente” é um dos melhores discos editados em 2015. A eleição feita pela crítica especializada acontece a pouco meses de Camané realizar grandes apresentações de “Infinito Presente” em Lisboa (Centro Cultural de Belém, 9 de Abril), Porto (Coliseu, 29 de Abril) e Évora (Arena, 7 de Maio). Estas apresentações são anunciadas pouco tempo após a realização de duas datas esgotadas, com bastante antecedência, na Culturgest em Lisboa no passado mês de Setembro.

“Infinito Presente”, editado a 4 de Maio, entrou directamente para o 1º lugar do top nacional de vendas.

Editado no ano em que se assinalam 20 anos sobre a edição de “Uma Noite de Fados”, “Infinito Presente”, a par de discos anteriores,  conta com produção, arranjos e direcção musical de José Mário Branco que co-assina com Manuela de Freitas a supervisão artística. O instrumental ficou a cargo de José Manuel Neto (guitarra portuguesa), Carlos Manuel Proença (viola) e Carlos Bica (contrabaixo).

Warner Music

sexta-feira, janeiro 01, 2016

Keith Richards & The X-Pensive Winos - "Will but you Won't"


Os Aurora - "O desamor"


https://m.facebook.com/osauroraoficial/photos/a.182978625237370.1073741828.180287735506459/447425295459367/

Choque em Cadeia com EP

Choque em Cadeia anunciam o lançamento do seu trabalho mais recente, “Tête-à-Tête”
Os 4 jovens lisboetas editam o EP composto por 4 temas originais cantados em Português. Um som verdadeiramente original e que promete dar que falar. A banda irá certamente contribuir para a renovação dos paradigmas da música portuguesa.
"Finalmente encontrámos o nosso som". Carlos Noronha, responsável pela voz da jovem banda (os 4 elementos têm idades a rondar os 20 anos), acredita que o EP marca o início da longa viagem musical que querem fazer: pretendem inovar e surpreender, pondo a música acima de tudo e cantando sempre em português.
Com uma linguagem  própria, a banda sente que as músicas surgiram de uma forma muito "solta", dando mesmo a impressão de que se escreveram sozinhas. "Não queremos contar histórias, nem ser demasiado concretos. Queremos apenas que as palavras façam mesmo parte da música.", dizem em relação às letras do EP, que foram surgindo livremente, à medida que foram compondo as músicas.
Os Choque em Cadeia formados por: João Costa (guitarra), Luís Morais (bateria), Manuel Parreira (baixo) e Carlos Noronha (voz e guitarra) resultaram de um grupo de amigos de infância que começou a tocar em conjunto com apenas 13 anos e que foi procurando a sua identidade. Agora, depois do disco de estreia, chegam a este "Tête-àTête", que marca o início da sua maturidade musical.

Alinhamento: EP: "Tête-á-Tête"
- És Tão Fria
- Grão a Grão
- O Mundo Vive de Ironia
- Dois

 Disponível digitalmente a 10 de Janeiro

https://m.facebook.com/choqueemcadeia

UHF ao vivo no Cine-Teatro D.Joao V na Amadora

Saiu a 30 de Outubro a colectânea de carreira dos UHF “O Melhor de 300 Canções”, um repertório que começa em 1979 com “Jorge Morreu”, e segue até 2015 com o inédito “Soube Sempre Que Eras Tu”.
São 35 sucessos de carreira e dois inéditos que revelam gravações originais, regravações de clássicos, takes ao vivo e canções nunca antes editadas no formato digital. Este duplo CD mostra dois universos do som dos UHF: “O Rock” e “O Roll”.
“Puseste o Diabo Em Mim”, original de 1984 agora regravado, é já um vídeo de sucesso na plataforma Youtube, com realização de Zé Pinheiro.
Em 2016, o espectáculo “O Melhor de 300 Canções” retrata ao vivo os sucessos de uma carreira.

Música
23 Jan.| 21:30H | 12,5€

Jose Cid no Cine-Teatro Municipal D.Joao V


José Cid | Voz & Piano

Após um ano pleno de animados concertos e lotações esgotadas, José Cid regressa com a tour “Voz & Piano” – um novo conceito na carreira de um dos maiores artistas nacionais que promete valorizar a proximidade com o seu querido público.
Falar de José Cid é falar de um dos maiores talentos jamais revelados pela música portuguesa. Em qualquer parte do mundo, raríssimos são os artistas que conseguem estar no topo durante 40 anos, ele encontra-se neste grupo restrito por mérito próprio. Há muito reconhecido e retratado em largas dezenas de inesquecíveis e inspiradas canções, que vão do étnico, ao fado, ao pop, ao rock, ao popular e até ao jazz. Esta versatilidade garantiu a José Cid um lugar muito especial no coração do público.
A vertente intimista do espectáculo e animação característica do artista envolverão os fãs num momento único, existindo tempo para contacto directo com o artista.
José Cid é autor/compositor e intérprete de alguns dos maiores êxitos da música nacional. "A Rosa Que Te Dei", "Na Cabana Junto à Praia", "20 Anos", "Ontem, Hoje e Amanhã", "Cai Neve em Nova Iorque", "A Minha Música" e os mais recentes "Mais um Dia" e "Louco Amor" são apenas alguns dos temas que o público vai poder ouvir e cantar em uníssono com o cantor.
José Cid, ontem, hoje e sempre...

Música
09 Jan. | 21:30H | 15€


Ricardo de Sá - "Verao o ano inteiro"


Farol musica


Mary N com musica nova

Mary N lança versão dos Wham!
E não, não é mais uma cover de "Last Christmas"!

Esta podia ser apenas mais uma versão dos Wham! mas não é, a Mary N gravou todo o tema e utiliza apenas uma guitarra, a voz e um porta chaves!  

Depois do seu primeiro single a Mary N, guitarrista, multi-instrumentista, compositora, cantora, a lista é extensa, de apenas 20 anos, lança a sua versão de "Last Christmas". Um pequeno presente de Natal para todos os que a têm acompanhado e vindo a descobrir.

https://m.facebook.com/marynofficial/?ref=ts&fref=ts

Zé Perdigão ao vivo em Cinfães

ZÉ PERDIGÃO
Sábado, 2 Janeiro 2016, 21h30 | Auditório Municipal de Cinfães



Zé Perdigão começa o novo ano a encantar Cinfães
À semelhança do que tem vindo a fazer ao longo dos últimos anos, Zé Perdigão apresenta um concerto único: “Entre-Fados”. Neste espectáculo vai fazer-se acompanhar pelo guitarrista/compositor Ricardo Silva (guitarra portuguesa) e João Silva (viola de Fado).




Zé Perdigão, uma das vozes mais emblemáticas da música tradicional.

"Zé Perdigão, cantor português sem fronteiras, eleito para nos deixar atónitos e estonteados com o alcance, a amplitude, a intensidade (e, ao mesmo tempo, a doçura) da sua voz." João Gobern – crítico musical / Antena1

https://m.facebook.com/zeperdigaooficial