sábado, janeiro 31, 2015

Gritali no Jango music

http://jango.com/music/gritali

As 3 Marias ao vivo


As 3 Marias e Simone de Oliveira partilham em espetáculo uma viagem musical através de alguns dos seus grandes êxitos. Esta cumplicidade deu origem ao tema bónus “No teu Poema”, inserido na reedição do álbum “Bipolar”.
Cine Teatro Constantino Nery, Teatro Municipal, dia 28 de Fevereiro, às 21h30
Preço dos bilhetes: €12,50
À venda no Cine Teatro.

No salão Brasil em fevereiro:

video
BAMBA SOCIAL (Portugal/Brasil)
Sexta, 13 Fevereiro, 22h30 ao vivo no Salão Brazil, Coimbra
A paixão pelo Samba e Chorinho juntou este colectivo de músicos lusobrasileiros que revisitam os variados clássicos da musica brasileira desde os anos 30 até aos dias de hoje, recriando-os e acrescentando novas sonoridades.

Bamba Social, como o nome indica é um conceito que revive os anos dourados da boémia carioca, em que a música, a dança e o convívio se fundiam em alegres bailes.

São Pedro Pinheiro "Bro Pine" no cavaquinho, Tomás Marques e Zé Ferra no violão, Manu Idhra e Filipe Deniz e João Guedes nas percussões e Pedro Guerra "Guerrinha" e Vanessa Sassine nas vozes

Bamba Social >>

imagem

Salão Brazil, um espaço do Jazz ao Centro Clube
Largo do Poço, 3, Coimbra
Telf. 239 837 078
salaobrazil@gmail.com

 SALÃO BRAZIL no facebook
imagem

Festival Rescaldo

A 8ª edição do Rescaldo reforça a sua vocação de dar forma e sentido às mais inovadoras e interessantes movimentações da música nacional, levando à Culturgest e à Galeria Zé dos Bois projectos de proveniências geográficas e estéticas múltiplas, celebrando identidades criativas sempre plurais e assinalando cunhos autorais cada vez mais vincados.
As propostas apresentadas marcam o fortalecimento da presença da região norte do país, com a Nova Orquestra Futurista do Porto a revisitar as já centenárias mas ainda desarmantes proposições do futurista Luigi Russolo, as margens do rock representadas via Santo Tirso e Barcelos (pelo power-trio Gesso e pelos incomparáveis La La La Ressonance, respectivamente), com especial destaque ainda para a efervescente cidade de Braga, com a presença dos projectos Estilhaços, do expoente máximo bracarense Adolfo Luxúria Canibal e do duo Quest, do cada vez mais omnipresente artista e curador Luís Fernandes e da pianista Joana Gama.
A presença de um número recorde de artistas no feminino é também um dos traços desta edição do festival, que convida a diva do indizível Lula Pena a apresentar um espectáculo radicalmente diferente das suas desarmantes canções feitas de voz e guitarra, e mergulha num arquivo de fontes sonoras que tem vindo a construir, ao longo dos anos, como matéria-prima para colagens de formas abertas e livres.
Por ser parte integrante da linha de programação do Rescaldo não apenas o encontro de estéticas como também de gerações e de progressões colaborativas, destacamos ainda a apresentação da mais recente formação dos seminais Caveira, de volta ao formato trio e com trilhos apontados a uma cada vez mais ampla e inclassificável dinâmica criativa, e do projecto solo do também lisboeta Guilherme Gonçalves, Coclea, que acompanhado por algumas das mais cintilantes figuras da capital assinala mais um lançamento na Shhpuma, editora que prossegue a sua ligação íntima ao festival e continua a dispensar a máxima atenção aos novos talentos da cada vez mais saudavelmente exploratória movida musical do país.

Pedro Abrunhosa -INTEIRO de Pedro Abrunhosa com data extra e convidados especiais

INTEIRO de Pedro Abrunhosa com data extra e convidados especiais
cima
foto
album
Booking
PEDRO ABRUNHOSA
INTEIRO de Pedro Abrunhosa com data extra e convidados especiais
Esta 5ª feira, 29 de Janeiro, Pedro Abrunhosa sobe ao palco do Coliseu do Porto para uma data extra que antecipa os concertos marcados para 30 e 31 de Janeiro, que já se encontram esgotados. Prevêem-se noites históricas no Coliseu do Porto, Meo Arena (7 de Fev.) e Pavilhão Multiusos de Guimarães (14 de Fev.). Será a celebração dos 20 de carreira de Pedro Abrunhosa, neste espectáculo especial de nome INTEIRO, que revisita toda a discografia do músico, compositor e cantor, desde "Viagens" – o disco de estreia, reeditado em Novembro de 2014 -, até ao mais recente "Contramão".
Ao vivo, Pedro Abrunhosa surgirá acompanhado por convidados muito especiais, em todos os concertos da digressão nacional de INTEIRO. Camané irá participar no tema "Para os Braços da Minha Mãe" (um momento que se prevê de grande emoção e cumplicidade entre os dois artistas e entre estes e o público) e os músicos Mário Barreiros (guitarra) e Edgar Caramelo (saxofone) - que integraram a formação original dos Bandemónio – acompanharão Pedro Abrunhosa em diversos momentos do espectáculo. Os concertos do Coliseu do Porto contam ainda e em exclusivo, com o contributo especial do músico, performer e artista plástico João Ricardo de Barros Oliveira.
INTEIRO esgotou a sala parisiense Olympia, a 16 de Janeiro e o Rockhal, no Luxemburgo, no dia seguinte. Em Portugal é apresentado no Coliseu do Porto nos dias 29, 30 e 31 de Janeiro, na MEO Arena a 7 de Fevereiro e no Pavilhão Multiusos de Guimarães, a 14 de Fevereiro.
INTEIRO – por Pedro Abrunhosa:
"Nestes escuros tempos que atravessamos, a Música tem coberto de luz a estrada de muitos, restituindo-lhes esperança, identidade, noção de paz e pertença. Ela é um território que habitamos, tanto quanto o é o País donde vimos. Onde quer que estejamos, cantamos os mesmos refrões, choramos a dor idêntica, celebramos alegrias, partilhamos o bem e sentimo-nos Um, e no entanto somos parte duma multidão da qual nunca saberemos o nome. Tal é o poder da Música: nos espectáculos, nas rádios, nas redes sociais, a Música faz-nos menos sós.
Até hoje apenas escrevi sete discos. É pouco para o que quero ainda fazer, mas são sete discos que me levaram à descoberta de mim próprio, do País e da força da língua que me leva por diante. Aos poucos fui encontrando-me num Portugal muito diferente, muito melhor do que aquele a que tantas vezes nos tentaram reduzir. Este é um país de gente enorme, de realizações, de afectos, de sonhos inteiros e de horizontes que mergulham no impossível porque da impossibilidade nasce a concretização, o trabalho, a luta e a esperança de todos os dias. Com este novo conhecimento de nós parti de novo para a estrada num percurso que entremeei apenas com a reclusão do estúdio.
Das histórias que muitos generosamente partilharam comigo ao longo dos anos, fiz canções. Dos milhares e milhares de quilómetros corridos a palmo e amor, recolhi um mar de afectos que hoje sou por dentro. E é dessa espuma que são feitos discos e espectáculos, noite após noite, numa tentativa vã de devolver o que me é apenas emprestado, o que não é meu mas de todos.
Através da Música fizemos memória, história e futuro. Encontrei eco nas vozes de tantos tornadas fortes pelo uníssono da consistência, da vontade, das revoltas e da dádiva. E é essa capacidade de regeneração que brota de nós em cada concerto e que continua a ser o motor emocional da minha escrita.
INTEIRO é o espectáculo que celebra o quanto ainda aí vem, o muito que há para fazer. Todos os dias são dias de recomeçar, de tentar ser maior, de buscar na palavra certa o tempo fugaz da vida.
Estas noites de INTEIRO serão o início de muita mais estrada, mais Canções, da perpétua busca de algo que espero nunca vir a encontrar.'
Coliseu do Porto - 29, 30 e 31 Janeiro
Comprar Bilhete: ticketline.pt
Meo Arena - 7 de Fevereiro
Comprar Bilhete: blueticket.pt
Multiusos Guimarães - 14 de Fevereiro
Comprar Bilhete: bilheteiraonline.pt

Paulo Kanuko


Diabo na Cruz adiam próximos concertos

diabonacruz
DIABO NA CRUZ adiam os próximos concertos por doença de Jorge Cruz
Por motivos de doença respiratória do vocalista Jorge Cruz que o impede temporariamente de realizar espectáculos, os Diabo na Cruz vêem-se obrigados a adiar os próximos concertos da Tour de Teatros iniciada no passado dia 16 de Janeiro. Os concertos a adiar são: 31 de Janeiro (Fórum Luísa Todi - Setúbal), 6 de Fevereiro (Teatro de Vila do Conde), 7 de Fevereiro (Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha), e 12 de Fevereiro (Oficina Municipal do Teatro - Coimbra). A banda conta anunciar em breve novas datas para a realização destes concertos, prevendo-se que os bilhetes já adquiridos sejam válidos nessas novas datas, salvaguardando o direito a reembolso para quem assim preferir.
Os Diabo na Cruz deverão assim retomar a TOUR de 2015 no dia 26 de Fevereiro, em Lisboa no Teatro Tivoli.


The CityZens editam CD

Os The CityZens vão editar o seu álbum de estreia, Medicine For Open Minds.
O disco, gravado no AMPstudio sob a batuta do produtor Paulo Miranda, chega às lojas a 23 de Fevereiro.

É um álbum com 12 temas, que mostra a sonoridade marcadamente Rock n’ Roll da banda, que passeia ainda por universos Folk Rock psicadélico, Soul Rock e Blues Rock, tendo como single de apresentação o tema Salvation, que pode ser ouvido na integra em www.soundcloud.com/thecityzens ou

O teaser oficial conduz-nos por uma apresentação viva do disco

segunda-feira, janeiro 26, 2015

Vitorino D'Almeida dirige Orquestra da Universidade do Minho dia 5 fevereiro

No dia 5 fevereiro encerram as comemorações dos 40 anos da Universidade do Minho.
O Maestro e Compositor António Vitorino D'Almeida irá dirigir neste concerto a Orquestra desta instituição.

Data: 5 fevereiro 2015
Hora: 21:30
Local: Culturgest (Lisboa)
Orquestra da Universidade do Minho
Maestro: António Vitorino D'Almeida

domingo, janeiro 25, 2015

Gazua ao vivo em março


A festa/concerto de lançamento do novo disco irá acontecer no RCA CLUB que fica situado no bairro de Alvalade em Lisboa e contará com os convidados muito especiais THE QUARTET OF WOAH
Novo disco em pré venda na RASTILHO "Aqui"

"SOBRENATURAL não é mais um disco na vida dos Gazua, é sim o disco que os Gazua já mereciam há muito." Nuno Calado (Antena 3)
Em breve a banda apresentará o segundo single com Videoclip do tema "Sobrenatural" que dá nome ao disco. Estejam atentos!

Minus estreia-se com o cd "Árvores, pássaros e almofadas"

De “Beats, Rhymes and Life” a “Árvores, Pássaros & Almofadas”, há um tributo à arte exploratória do Hip Hop num contexto social e pessoal, criando pontes rítmicas do boom bap aprimorado de J Dilla à nostalgia cinzenta do Porto.

Depois do lançamento do primeiro single (vídeo) «Gestos Cinematográficos» e duma apresentação, ao vivo e em formato banda, bem aceite no Plano B (Porto) a 22 NOV, é feita agora a primeira promoção oficial ao álbum. 


Tsunamiz com novo cd

Evil Live é o novo trabalho de TSUNAMIZ (Bruno Sobral).
Está já nas lojas digitais desde 13 de janeiro.

Musico Português João Almas com novo projeto agora na Polónia

O músico vilacondense João Almas, que integrou o projecto "Alma Divina" de 2000 a 2004 e ainda fez parte do grupo britânico Something Good Will Come Of This, lança-se com um novo projecto directamente de Cracóvia, Polónia. É um projecto duo (guitarra e voz) com a russa Alisa Koshkina e numa fusão de sons que retratam a influência do Country Blues, Pop e Jazz. O duo já realizou concertos ao vivo, tendo actuado no passado mês de Setembro no Chicago Club, em Cracóvia e no qual pode ser visualizado um excerto do mesmo no Youtube. 

http://www.myspace.com/joaoalmas

sábado, janeiro 17, 2015

Aerosmith & Run - D.M.C - "Walk this way"


Países que mais visitaram esta semana o BMP

Portugal

Estados Unidos

Alemanha

Rússia

França

Espanha

Luxemburgo

Noruega

Brasil

República Tcheca

Aerosmith - "Amazing"


O Martim com novo cd

«Horas Para Gastar Vol. I» é o novo disco de O Martim, confessionário-pop de Martim Torres, que, munido com um computador, uma caixa de ritmos, vários instrumentos e voz malandra, grava no seu estúdio caseiro as canções que aqui e ali vai escrevendo. O disco chega às lojas dia 2 de Fevereiro e será apresentado ao vivo no Musicbox Lisboa no dia 6 de Fevereiro.

"Nesta última temporada da minha vida arranjei finalmente maneira de conseguir dedicar o meu tempo às coisas certas, às coisas que eu queria fazer, às coisas boas. E assim que consegui oferecer coisas boas ao meu tempo, ele presenteou-me com «Horas Para Gastar»." (Martim Torres)

Este disco, que, tal como o «em banho Maria» (2013), sai com o selo da Azáfama, tem 8 faixas e conta com diversos convidados. Para além das já habituais presenças de David Pires na bateria e António Quintino no baixo e nos sintetizadores, o disco conta com participações de Cut Slack, que produziu o single de avanço, «Razão da distração», Ricardo Toscano, que encarnou o espírito calypso e tocou saxofone na "italiana" «Lavati le mani», Tiago Lamy, que cantou a meias a «Amor de mão», Samuel Úria, que dedilhou um banjo à cowboy na «Pode ser», Sensi, que "escafiou na miúda que continua a ser «Intensamente Estúpida»" e Zé Maria Gonçalves Pereira, que gravou backvocals.

O disco foi escrito, gravado e misturado pelo próprio Martim Torres, à excepção das baterias, que foram captadas por Manuel San Payo em casa dos seus avós, e da «Razão da Distração», que foi gravada por Fred Campos Costa (Cut Slack) no seu estúdio. A masterização foi feita por Miguel Pinheiro Marques, no Bender Mastering Studio, enquanto o Nilton oferece a sua caligrafia e talento para as ilustrações e capa, com base na fotografia de Fernando Ramos.

Na festa de lançamento de dia 6 de Fevereiro (sexta-feira) no Musicbox Lisboa, que contará com convidados diversos, e onde o disco estará à venda por um preço promocional de 5 €, marcará o início de uma digressão de promoção do disco que se estenderá ao longo de todo o ano. Arrancará às 23h00, os bilhetes (à venda no Musicbox Lisboa, na Bilheteira Online e nos locais habituais, a partir de dia 12 de Janeiro) custarão 5 € e a primeira parte ficará a cargo do mestre de cerimónias, Sensi, em modo dj set.

We Bless This Mess

We Bless This Mess - projecto a solo de Nelson Graf Reis - é do Porto e lançará o primeiro EP «Love and Thrive» (edição física e digital) a 19 de Janeiro, um trabalho gravado em Brasília (Brasil) fruto de encontros inesperados.
A nível musical, o EP é uma viagem entre ambientes Folk e Country com influências líricas do Punk. "Ama e prospera" é a mensagem simples que WBTM pretende passar como um modus operandi de atingir a felicidade na vida, algo que se reflete nestas canções que nasceram da sua aventura entre Brasil e Portugal.

Dalai Lume ao vivo no Paradise Garage

A convite da "Revolução Caramela" da Super FM os Dalai Lume vão actuar este Sábado, 17 Janeiro, no Paradise Garage em Lisboa.

Depois do album "Sentido Proibido" lançado em 2013 a banda lançou recentemente o disco de edição limitada "Ao Vivo na República da Música". A banda lisboeta irá partilhar o palco com os Rebels in Packages e os About Time no que promete ser uma excelente noite do melhor que se faz de Punk Rock em Portugal.



Dalai Lume - Miseráveis (Ao vivo na República da Música):

https://www.youtube.com/watch?v=rdJGvMZ2RTI



Rebels in Packages - Old School Style

https://www.youtube.com/watch?v=jjmGtJPRFTk



About Time - Forever (ao vivo)

https://www.youtube.com/watch?v=e66yg8wr91M

Concerto dos Choque em Cadeia

O primeiro concerto de 2015 dos Choque em Cadeia, terá lugar no Popular de Alvalade no dia 25 de Janeiro, ( Domingo ) e terá início às 16h00.

Preço dos bilhetes: 3 € (euros)

Bia

No seu surpreendente álbum de estreia a solo, “Chi-Coração”, a cantora, multi-instrumentista, compositora e letrista Bia abraça a herança das ilhas em que nasceu e cresceu, os Açores, as suas raízes, a sua poesia, as suas memórias e a sua música tradicional, mas também passa por muitas outras músicas por onde já antes tinha navegado. Na música e nas palavras cantadas por Bia (Beatriz Noronha) cobre-se o capelo e descobre-se o basalto, cheira a hortênsias e aos vapores das Furnas, sente-se a brisa do Atlântico e pressentem-se as brumas da Atlântida.

Entre a paixão pela tradição e uma constante modernidade -- oiça-se, por exemplo, “Monopólio”. (o primeiro single a retirar do álbum)


Biografia:

Bia pisou um palco pela primeira vez com cinco anos e com seis anos já cantava com o Coro e com o Grupo Folclórico do Colégio na ilha que a viu nascer, São Miguel, no arquipélago dos Açores.
Iniciou os seus estudos de guitarra com dez anos e investiu também em aulas de ginástica rítmica, sapateado e dança. Foi aos 14 anos que assumiu profissionalmente a sua actividade de cantora, tendo participado em vários projectos musicais, de covers e originais e fazendo inúmeros concertos pelas ilhas e continente.

Na altura em que viveu nos Açores, Bia também cantava nos bares locais, adquirindo uma experiência musical que depois viria a desenvolver em Lisboa. Sempre ligada ao Jazz e à música tradicional, foi aos 18 anos que viajou para Lisboa para estudar Arquitectura, curso no qual se licenciou mais tarde, e durante esse período estudou canto e piano para aprofundar os seus conhecimentos na área. Foi nessa altura também que fundou a Arquitectura, tendo sido sua regente durante alguns anos e onde se veio a interessar por outros instrumentos de cordas tais como o cavaquinho e o bandolim, e explorou arranjo e composição. Escreveu as canções originais da tuna e ainda hoje mantém uma relação com a mesma. Dividindo-se entre os estudos de música e arquitectura e umas idas às jam sessions dos bares lisboetas, partilhou o palco com diversos músicos das mais variadas áreas da música.

Corria o ano de 2005 quando Bia ingressou a banda Xaile, com quem viria a lançar o álbum homónimo em 2007, o que a fez pisar inúmeros palcos tanto em Portugal como no estrangeiro.
A partir de 2010 Bia começa a interessar-se pelo ensino da música acreditando na importância da iniciação musical na primeira infância, leccionando em diversas escolas, criando oficinas, ateliers e workshops para pais e filhos. Leva ainda esta sua vertente pedagógica às pediatrias dos hospitais da área de Lisboa com regularidade, através de sessões da Hora da Música como voluntária na Fundação do Gil.

Com uma vasta experiência musical e diversas participações, é em 2011 que Bia inicia a produção do seu álbum de estreia a solo, onde após 3 anos e meio de intenso trabalho, investigação, partilha e tertúlia com os seus pares, e em conjunto com o seu amigo de longa data Rui Filipe, explora as suas raízes, referências e experiências, assinando ainda algumas das canções, num disco
– “Chi-Coração” -- que estará à venda a 9 de Fevereiro e é Disco Antena 1.

Agenda dos Diabo na Cruz

Os Diabo na Cruz apresentam em palcos mais intimistas o novo album homónimo “Diabo na Cruz”, editado no final de 2014.

Depois de nos últimos anos se terem apresentado quase exclusivamente em grandes concertos ao ar livre, onde se contam inúmeros festivais e festas populares, os Diabo na Cruz levam ao palco um espectáculo especial de apresentação do seu novo trabalho numa Tour de Teatros que irão realizar entre Janeiro e Abril de 2015.



DIABO NA CRUZ - TOUR TEATROS *

16 de Janeiro - Castelo Branco (Teatro Avenida)

18 de Janeiro - Marinha Grande (Casa da Cultura)

31 de Janeiro - Setúbal (Fórum Luísa Todi)

6 de Fevereiro - Vila do Conde (Teatro Municipal)

7 de Fevereiro - Caldas da Rainha (Centro Cultural)

12 de Fevereiro - Coimbra (Oficina Municipal de Teatro)

26 de Fevereiro - Lisboa (Teatro Tivoli)

28 de Fevereiro - Évora (Teatro Garcia de Resende)

14 de Março - Barreiro (Auditório Municipal Augusto Cabrita)

21 de Março - Torres Novas (Teatro Virgínia)

26 de Março - Porto (Casa da Música)

10 de Abril - Ílhavo (Centro Cultural)

18 de Abril - Faro (Teatro Municipal)

25 de Abril – Braga (Theatro Circo)

* Novas datas a anunciar brevemente

Jose Cid : 10.000 Anos depois entre Vénus e Marte na Casa da Música

No próximo dia 28 de Fevereiro de 2015, pelas 21h30, José Cid apresenta o seu concerto de rock sinfónico “10.000 Anos depois entre Vénus e Marte”, na Casa da Música.
Nomeado pela Blitz como o melhor álbum do Rock Português de sempre.

Nomeado pela “Sputnick Magazine - USA” entre os 5 melhores álbuns do mundo.

Nomeado pela Q e Billboard, entre os grandes álbuns mundiais de Rock Progressivo

Ao vivo 10.000 anos depois entre Vénus e Marte, é ainda mais surpreendente!

José Cid, rodeado por músicos galácticos ( que só não são mais conhecidos mundialmente porque nasceram em Portugal) leva-nos a descobrir longe do planeta Terra, um mundo que todos sonhamos, mais justo e mais habitável

A não perder !
Um concerto de nível mundial, mas que é português!

Novidades nas lojas Loui Loui


“Seeds”, dos TV On The Radio, é dos álbuns lançados mesmo em final de 2014 e que, talvez por isso não tenha ainda recolhido a atenção que merece. Mas é, para já, um dos nossos discos preferidos do ano corrente. Depois de um passo um pouco ao lado com “Nine Types Of Light”, de 2011, disco que os viu abraçar uma electrónica mais abrangente e atacar mesmo um caminho mais “dubstep”, regressaram, entretanto, a um formato mais rockeiro e próximo das suas origens. “Seeds” está cheio de excelentes canções como “Could you” ou “Happy Idiot”, trechos que não renegam as raízes post-punk da banda, mas que as fundem de forma harmoniosa com alguma electrónica e com as vozes hipnotizantes de Tunde Adebimpe e Kyp Malone. É um híbrido muito próprio a sonoridade praticada por esta banda, misto de sonoridades tipicamente brancas e negras, de rock e soul, e daí soar tão fortemente personalizado e emocional. Um regresso em grande para a banda de Brooklyn que conseguiu ultrapassar a perda do seu baixista, e que com excelente produção e canções - ao nível do também excelente “Dear Science” – merece ser ouvida longa e intensamente durante os próximos tempos. Só esperamos que, entretanto, quem aprecia estas sonoridades não os tenha já esquecido.

A não esquecer ainda as promoções em CD e DVD do tipo pague 2 e leve outro grátis.


Juntos Outra Vez: Victor Gomes a Biografia Autorizada Livro de Ondina Pires – 20 eur

Pulp: Um Filme Sobre A Vida, A Morte E Supermercados Documentário DVD – 12,50€

Duran Duran: Unstaged (realizado por David Lynch) DVD – 13 eur

  Novidades e reposições da semana: LP

Angel Olsen: Burn Your Fire For No Witness (LP, Jagjaguwar) – 22,50 eur

Aphex Twin: Syro (LP, Warp) – 35 eur

Batida: Dois (LP, Soundway) – 16 eur

Body Count: Body Count (LP, Rhino) – 22,50 eur

Boogarins: As Plantas Que Curam (LP, Other) – 20 eur

Cage The Elephant: Melophobia (LP, Universal) – 22,50 eur

Censurados: Censurados (LP Reed., Rastilho) – 20 eur

Censurados: Confusão (LP Reed., Rastilho) – 20 eur

Chet Faker: Built On Glass (LP, Future Classic) – 26 eur

David Bowie: Sue (Or In a Season of Crime) (10”, Parlophone) – 15 eur

Fela Kuti & Africa 70: Confusion (LP Reed., Knitting Factory) – 20 eur

Flaming Lips: With A Little Help From My Fwends (LP, Bella Union) – 25 eur

Foo Fighters: Sonic Highways (LP, Roswell) – 25 eur

Foxygen: …And Star Power (2xLP, Jagjaguwar) – 25 eur

Fugazi: First Demo (LP, Dischord) - 20 eur

Fumaça Preta: Fumaça Preta (LP, Soundway) – 20 eur

Gala Drop: II (LP, Golf Channel) – 18 eur

Gentle Giant: Octopus (LP reed., Tapestry) – 25 eur

Grouper: Ruins (LP, Kranky) – 24 eur

Jimi Hendrix: Rainbow Bridge OST (LP, Sony) – 25 eur

King Crimson: Red (LP, Panegyric) – 25 eur

Kinks: Face To Face (LP reed, Sanctuary) – 25 eur

Kinks: Something Else (LP reed, Sanctuary) – 25 eur

Led Zeppelin: II (LP, Atlantic) – 20 eur

Mark Lanegan Band: Phantom Band (LP, Heavenly) – 25 eur

Nick Cave: Your Funeral My Trial (2xLP, Mute) – 30 eur

Perfume Genius: Too Bright (LP, Matador) – 25 eur

Robert Wyatt: Different Everytime (2xLP, Domino) – 26 eur

Ryan Adams: Ryan Adams (LP, Columbia) – 25 eur

Swans: Filth (LP reed., Young God) – 25 eur

Ty Segall: Singles 2 (LP, Drag City) - 20 eur

Xinobi: 1975 (2xLP, Discotexas) – 20 eur

  Novidades e reposições da semana: CD

Angel Olsen: Burn Your Fire For No Witness (CD, Jagjaguwar) – 16 eur

Ana Cláudia: De Outono (CD, Noz) – 7,50 eur

Batida: Dois (CD, Soundway) – 15 eur

Boogarins: As Plantas Que Curam (CD, Othermusic) – 16 eur

Bryan Ferry: Avonmore (CD, BMG) – 13 eur

Censurados: Censurados (CD Reed., Rastilho) – 13 eur

Censurados: Confusão (CD Reed., Rastilho) – 13 eur

D’Alva: #Batequebate (CD, NOS) – 10 eur

Deus: Selected Songs 1994-2014 (2xCD, PIAS) – 17 eur

Duquesa: Duquesa (CD, Nos Discos) – 10 eur

FKA Twigs: LP1 (CD, Young Turks) – 13 eur

Flaming Lips: With a Little Help From My Fwends (CD, Bella Union) – 17 eur

Fumaça Preta: Fumaça Preta (CD, Soundway) –

domingo, janeiro 11, 2015

Aerosmith - "Angel"

Estava a vasculhar os meus CDs e decidi colocar um video. As músicas dos Aerosmith são todas porreiras!

Fausto

Registado em Vila Franca das Naves, nasceu a bordo do navio Pátria, em viagem entre Portugal e Angola. Foi naquela então colónia portuguesa que formou a sua primeira banda, "Os Rebeldes". Veio para Lisboa com vinte anos, onde se licenciou em Ciências Políticas e Sociais, no então Instituto Superior de Ciências Sociais e Política Ultramarina (actual ISCSP).[2]

Estudava ainda quando lançou o primeiro álbum, Fausto e venceu o Prémio Revelação em 1969. No âmbito do movimento associativo em Lisboa, aproximou-se de nomes como José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire, juntamente com José Mário Branco ou Luís Cília, que viviam no exílio.[2]

Autor de doze discos, gravados entre 1970 e 2011 (dez de originais, uma coletânea regravada e um disco ao vivo), é presentemente um importante nome da música portuguesa e da música popular em particular.

A sua obra tem sido revisitada por nomes como, entre outros, Mafalda Arnauth, Né Ladeiras, Teresa Salgueiro, Cristina Branco ou Ana Moura.

Discografia[2] Editar

Álbuns de originais
Fausto (1970)
P'ró Que Der e Vier (1974)
Beco com saída (1975)
Madrugada dos Trapeiros (1977)
Histórias de Viajeiros (1979)
Por Este Rio Acima (1982)
O despertar dos alquimistas (1985)
Para além das cordilheiras (1987)
A preto e branco (1988)
Crónicas da terra ardente (1994)
A Ópera Mágica do Cantor Maldito (2003)
Em Busca das Montanhas Azuis (2011)
Singles e EPs
Fausto (1º EP, 1969)
Guerra do Mirandum (Single, 1984)
Coletâneas
O Melhor dos Melhores (1994)
Atrás dos Tempos Vêm Tempos (1996)
Grande Grande É a Viagem (ao vivo) (1999)
18 canções de amor e mais uma de ressentido protesto

Fonte: Wikipedia

Tarantula

Formação
Jorge Marques, voz. Paulo Barros, guitarra e voz. José Aguiar, baixo e voz. Luís Barros, bateria, teclados e voz.

TARANTULA (sem acento circunflexo na segunda vogal)
Banda de heavy-metal portuguesa estabelecida em Valadares, Vila Nova de Gaia, pelos irmãos Paulo e Luís Barros no ano de 1985 no seguimento da reformulação do grupo Mac Zac, criado em Outubro de 1981.

Mac Zac (1981-1985)
Estreiam-se a 19 de Dezembro de 1981 no Pavilhão do Cevadeiro (VF Xira) na ''Grande Maratona do Rock Português''.
Em 1982 fazem duas actuações na Alemanha (RFA); Frankfurt e Offenbach.
No ano de 1983 gravam a única maqueta e a 15 de Dezembro de 1984 encerram este capítulo no primeiro ''Festival de Heavy-Metal Português'', realizado em Santo António dos Cavaleiros, Loures.

TARANTULA
Em 1985 produzem a primeira fita-demonstração que é apresentada a 10 de Outubro desse ano no Rock Rendez-Vous, Lisboa.
No início de Maio de 1986 circula nos existentes canais de divulgação a segunda demo (ainda em suporte magnético) e a 23 de Novembro de 1987 chega finalmente aos escaparates o aguardado longa duração ''Tarantula'', com o selo Transmédia (José Afonso, Júlio Pereira, Banda do Casaco...); o primeiro disco do género totalmente gravado e produzido por um colectivo luso e publicado a nível nacional.

Em 1990 gravam em estúdio próprio (Rec 'n' Roll) o segundo trabalho de originais "Kingdom of Lusitania" com distribuição PolyGram (Universal). Luís Barros assina a produção.

No ano de 1993 chega ao mercado "Tarantula III" pela Numérica (António Victorino D'Almeida, Jorge Rosado, Carlos Zíngaro...). Dois anos depois (1995) e ainda pela mesma editora é disponibilizado ''Freedom's Call''.

No Verão de 1998 Paulo Barros lança o seu primeiro trabalho a solo ''Vintage'' e no final da década de noventa (1999) ''Light Beyond the Dark'', o quinto álbum de originais de TARANTULA, é publicado pela AFM Records (Fear Factory, Danzig, U.D.O...) esta companhia editaria posteriormente ''Dream Maker'' em 2001 e quatro anos volvidos (2005) ''Metalmorphosis''. Pelo meio, na Primavera de 2003, ''Gemini'' a segunda aposta em nome próprio do guitarrista e co-fundador deste quarteto de Valadares é distribuído pela Point Music (Vicious Rumors, Harem Scarem, Rough Silk...).

''K:arma 6'', o terceiro disco de originais de Paulo Barros é apresentado a 30 de Setembro de 2007 no Coliseu do Porto na primeira parte do programa de dois dias encabeçado por Vicente Amigo; ''Coliseu GuitarFest'', uma produção comemorativa do Dia Mundial da Música (1 de Outubro). De seguida e até ao final de 2009, Paulo Barros e Jorge Marques assumem a direcção musical e vocal, respectivamente, de algumas peças com a chancela Disney; ''Peter Pan'', ''O Livro da Selva'' e ''High-School Musical''.

No final de 2010 ''Spiral of Fear'', o oitavo registo do grupo é colocado à venda em Portugal e re-editado dois anos mais tarde (2012) em formato especial para o mercado internacional via IceWarriors Records (Faster Pussycat, Thunderbolt, ToxicRose...).

Em processo de finalização e com edição prevista para breve está a quarta proposta a solo de Paulo Barros.

Entre as diversas actuações de TARANTULA e de Paulo Barros, aqui e além fronteiras, as participações em cartazes repartidos com alguns dos maiores e mais respeitáveis nomes do vasto universo rock; Deep Purple, Motorhead, Testament, Helloween, Manowar, Gamma Ray, Stratovarius, Slash, Joe Satriani...

Playlist bmp

Gritali_Ecra da Tv
Arte & Oficio_Contradiction
Cassapo_Nostalgia
Vasco Balio_Gravata
Nuno Lupi_December Song
Phama - Nao Vou Ca Estar
UHF_Era de noite e levaram
Gritali_Saudades (2004)
Vitor Dias_Raio de Luz
Karpa Koi_Sentidos proibidos
Gritali_Nao consigo compreender
Gritali_Noites
D3O_Coldnt care at all
Nuno Guerreiro_Tento saber
Gritali - Comemoracoes injustificadas
Lisamona_Old Back the rain
ROXIGENIO_Stiff Nicked Obstinated
Ferro & Fogo_Sta_Apolonia
Johnny Johnny_Volto Ja
Manifesto_Aos domingos vou a bola
Ferro & Fogo - Super Homem

http://www.soundclick.com/bmpzagatiprod

Paulo Bragança - "Sou Galego"


sábado, janeiro 10, 2015

Luisa Sobral em 2015

Luísa Sobral começa 2015 da forma que mais gosta: a tocar ao vivo. E antes dos concertos em Portugal faz uma incursão por importantes palcos europeus: esta sexta-feira voa para a Alemanha, onde começa e termina uma digressão que, pelo meio, ainda a leva à Suíça e ao Luxemburgo.


Trata-se de um espectáculo que revisita os dois primeiros discos da cantautora portugesa 'There's a Flower in my Bedroom' (2013), e 'The Cherry on my Cake' (2012), que deram a conhecer ao mundo o timbre único e a voz de veludo de Luísa Sobral, que casa de forma preciosa com linhas melódicas inspiradas em standards do jazz americano e em nomes da pop contemporânea.


No final do mês, Luísa regressa a Portugal para dar início a uma digressão nacional de apresentação do seu mais recente Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa, disco editado em Novembro, repleto de episódios coloridos da sua infância feliz. Em Março, a artista portuguesa volta ao estrangeiro para fazer mais concertos em solo europeu e a sua primeira digressão nos Estados Unidos, com concertos já anunciados no prestigiado Kennedy Center, em Washington, e no histórico SXSW, em Austin, Texas.

http://www.luisasobral.com

Márcia prepara novo CD

Dadi Carvalho é um famoso músico brasileiro conhecido por trabalhos com Caetano Veloso, Marisa Monte, Barão Vermelho, Jorge Benjor, Rita Lee, Tribalistas, entre muitos outros.

Márcia está em estúdio a gravar "Quarto Crescente" o seu terceiro disco de originais. Com edição prevista na Primavera deste ano, o sucessor de "Casulo" conta com a produção de Dadi Carvalho, famoso músico brasileiro conhecido por trabalhos com Caetano Veloso, Marisa Monte, Rita Lee, Tribalistas, entre muitos outros. (ver biografia abaixo).

Sobre Márcia diz Dadi Carvalho: " Mais uma vez a sorte sorriu pra mim, pois ser convidado para produzir uma cantora / compositora tão talentosa, com uma voz deliciosamente bela é puro prazer. Obrigado Márcia!"

Márcia editou o seu primeiro álbum de originais, "Dá", em Novembro de 2010 recebendo de imediato os maiores elogios da crítica. "Dá" viria a conhecer uma nova edição em Novembro de 2011 na qual, ao alinhamento original, se juntou o tema "A pele que há em mim (quando o dia entardeceu)" em dueto com JP Simões. Um tema que no Youtube já ultrapassou os dois milhões de visualizações e que valeu a Márcia uma nomeação para os Globos de Ouro.

Em Maio de 2013 editou o segundo álbum de originais. Eleito pela revista Blitz o 3º melhor álbum do ano de música portuguesa, "Casulo", dos quais se destacaram os singles "Deixa-me Ir" e "Menina" (em dueto com Samuel Úria) teve uma recepção calorosa do público o que o levou a entrar directamente para o 6º lugar do top nacional de vendas e afirmou, definitivamente, Márcia como um dos mais sólidos nomes da nova geração da música portuguesa.

Dep. Promoção/ Warner Music Portugal Portugal/ 8 de Janeiro de 2015



Dadi Carvalho - Biografia

Instrumentista, compositor, produtor e cantor, Dadi Carvalho nasceu no Rio de Janeiro. Autodidata, começou a tocar violão e baixo elétrico aos 13 anos de idade. Com apenas 17 anos dava início à carreira profissional como baixista de Os Novos Baianos, com o qual gravou os LPs "Acabou chorare" (Som Livre), "Os Novos Baianos Futebol Clube" (Continental), "Linguagem do Alunte" (Continental) e "Vamos pro mundo" (Som Livre).

Dadi é titular de uma extensa discografia e já correu o mundo com seu baixo elétrico, atuando intensamente no cenário musical brasileiro desde a década de 70 com artistas como Jorge Benjor, Caetano Veloso, Barão Vermelho, Marisa Monte, Rita Lee, Tribalistas (grupo formado por Marisa Monte, Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes), Erasmo Carlos, dentre outros. O baixista chegou a acompanhar Mick Jagger na gravação da música "Scarlet", nos estúdios da PolyGram (Rio de Janeiro) em 1975.

No final da década de 70 fundou o grupo A Cor do Som, ao lado de Armandinho, Ary Dias, Gustavo Schroeter e seu irmão Mú Carvalho. Com eles lançou os LPs "A Cor do Som" (Warner), "A Cor do Som ao vivo no Montreux International Jazz Festival" (Warner), "Frutificar" (Warner), "Transe total" (Warner), "Mudança de estação" (Warner), "Magia tropical" (Warner), "As quatro fases do amor" (Warner), "Intuição" (Warner), "O som da Cor" (Warner/1985) e "Gosto do prazer" (RCA Victor). O grupo, que se dissolveu em 1985, realizou diversas turnês no Brasil e no exterior.

Em 1996 reuniu-se novamente aos companheiros do A Cor do Som para lançar o CD "A Cor do Som ao vivo no circo" (Movieplay), vencedor do Prêmio Sharp de Música de Melhor Grupo Instrumental em 1997.

Em 2001 participa da trilha sonora do filme "Dois perdidos numa noite suja", de José Joffily, com a canção-tema "Dois perdidos", de sua parceria com Arnaldo Antunes.

Integrando a formação original do grupo A Cor do Som, Dadi apresenta-se no Canecão (RJ) em 2005. O show, que contou com a participação de Caetano Veloso, Daniela Mercury, Moraes Moreira, Davi Moreira e o Coral dos Canarinhos de Petrópolis, gerou o CD e o DVD "A Cor do Som Acústico", com produção musical de Sérgio de Carvalho. Com este CD/ DVD, A Cor do Som leva o Prêmio Tim de Música como Melhor Grupo na categoria Canção Popular.

No mesmo ano lança no Japão seu primeiro disco solo, "Dadi" (Impartmaint/RipCurl), onde apresenta as composiçõe

sexta-feira, janeiro 09, 2015

MINUS estreia álbum «Árvores, Pássaros & Almofadas»

De “Beats, Rhymes and Life” a “Árvores, Pássaros & Almofadas”, há um tributo à arte exploratória do Hip Hop num contexto social e pessoal, criando pontes rítmicas do boom bap aprimorado de J Dilla à nostalgia cinzenta do Porto.

Depois do lançamento do primeiro single (vídeo) «Gestos Cinematográficos» e duma apresentação, ao vivo e em formato banda, bem aceite no Plano B (Porto) a 22 NOV.

Armando Santos - Construtor de violas e cavaquinhos

Armando Santos é um excelente artesão de violas e cavaquinhos de S.Martinho de Campo/Valongo. É lá que desenvolve a atividade na construção desses instrumentos.

Contacto: 938634976

E por curiosidade o video "Campo,eira,quintal" (uma das minhas recentes composições) foi tocada com a minha primeira viola acústica "Arsom" feita por este mesmo artesão propositadamente para mim.

Hã!!!
Já me ia esquecer. A musica "Campo,eira,quintal" no CD, também foi tocada com esta excelente viola ARSOM (Armando Santos).

Viola acústica... em cordas de nylon! Tinha de ser, claro!

Uma viola construída em meados de 2000.

quinta-feira, janeiro 08, 2015

The Dirty T-Shirt Band Live

FRI JAN 09 2015
Hurricane Grill & Wings
Tallahassee, FL | 07:00 PM

Maria de Medeiros

Filha do maestro António Vitorino de Almeida e de Maria Armanda de Saint-Maurice Ferreira Esteves, jornalista, tem uma irmã mais nova, a também actriz Inês de Medeiros. A avó materna, Odette de Saint-Maurice, era escritora juvenil e autora radiofónica.

Biografia

Passou a infância na Áustria, regressando a Portugal após o 25 de Abril de 1974. Em Lisboa frequentou o Lycée Français Charles Lepierre.

Atriz
Também em Paris, a atriz iniciou uma nunca terminada licenciatura em Filosofia, na Universidade de Sorbonne, frequentou a École Nationale Superieure des Arts et Techniques du Théatre e o Conservatoire National d'Art de Paris.

Fluente em seis idiomas, está radicada em Paris.[1]

Com a encenadora Brigitte Jacques — que a dirigiu em espectáculos como A Morte de Pompeu, de Pierre Corneille ou Elvire Jouvet 40, de Louis Jouvet — iniciou definitivamente a sua carreira como actriz, primeiro no teatro, depois no cinema. Contudo a sua estreia no cinema ocorrera durante a juventude, com a participação no filme Silvestre, do realizador João César Monteiro (1982). Henry e June (1990), de Philip Kaufman, onde contracena com Fred Ward e Uma Thurman, e Pulp Fiction, de Quentin Tarantino (1994), onde actua ao lado de Bruce Willis, John Travolta e Samuel L. Jackson, contribuíram para o seu reconhecimento como a mais internacional das actrizes portuguesas. Salienta ainda as participações em A Divina Comédia, de Manoel de Oliveira (1991), Huevos de Oro, de Bigas Lunas (1993), Três Irmãos, de Teresa Villaverde (1994) (que lhe valeu os prémios de Melhor Actriz no Festival de Veneza e no Festival de Cancun), Adão e Eva, de Joaquim Leitão (1995) (Globo de Ouro como Melhor Actriz) e O Xangô de Baker Street, de Miguel Faria Jr. (2001).

Realizadora
Estreou-se como realizadora com Sévérine C. (1987), lançando em seguida Fragmento II (1988). Em 2000, lançou Capitães de Abril, um longa-metragem sobre a Revolução dos Cravos, seleccionado para o Festival de Cannes e premiado no Festival de São Paulo. Posteriormente assinou Bem-Vindo a São Paulo (2004), Mathilde au Matin (2004), Je t'aime moi non plus (2004) e o segmento "Aventuras de um Homem Invisível" em Mundo Invisível.

Condecorações
A 10 de Junho de 1992 foi feita Dama da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[2]

A 2003 recebe a Ordre des Arts et des Lettres. Em França.

Galardões
Foi nomeada Artista da UNESCO para a Paz (2008), sendo a primeira portuguesa a assumir este papel.

Filmografia

Longas-metragens
1982: Silvestre de João César Monteiro: Sílvia / Silvestre
1983: A Estrangeira de João Mário Grilo
1984: Paris vu par… vingt ans après: (sketch "J'ai faim, J'ai froid") de Chantal Akerman
1985: Vertiges de Christine Laurent: Blanche
1986: Le Moine et la sorcière de Suzanne Schiffman: Agnès
1988: La Lectrice de Michel Deville: A enfermeira silenciosa
1989: L'Air de rien de Mary Jimenez: Cecile
1990: L'Ourse bleue de Marc Chevrié
1990: 1871 de Ken McMullen: Maria
1990: Henry & June de Philip Kaufman: Anaïs Nin
1991: A Morte do Príncipe: Salome
1991: A Idade Maior: Barbara
1991: A Divina Comédia (filme): Sónia
1991: La Tentation de Vénus / Meeting Venus de Istvan Szabo: Yvonne
1991: L'Homme de ma vie de Jean-Charles Tacchella: Aimee
1992: Retrato de Família de Luis Galvão Teles: Ofelia
1993: Huevos de oro de Bigas Luna: Marta
1994: El Detective y la muerte de Gonzalo Suarez: Maria
1994: Des feux mal éteints de Serge Moati: Tweedy Bird
1994: Três Irmãos (filme) de Teresa Villaverde: Maria
1994: Pulp Fiction de Quentin Tarantino: Fabienne
1995: The Woman in the Moon
1995: Paraíso Perdido: Cristina Pratas
1995: Adão e Eva: Catarina Meneses
1996: Des nouvelles du bon Dieu de Didier Le Pêcheur: Karenine
1996: Tiré à part de Bernard Rapp: Nancy Pickford
1997: Tempête dans un verre d'eau: Vita
1997: Go for Gold!: Paquita
1997: Le Polygraphe: Claude
1997: Airbag: Fátima do Espíritu Santo
1997: Les Mille merveilles de l'univers: Presidente Blandine Brucker
1997: Le Comédien: Antoinette Vervier
1998: Guerra e Liberdade - Castro Alves em São Paulo: Eugénia Câmara
1998: A Tempestade da Terra:

Maria de Medeiros

Curtas-metragens
1987: Nina de Bianca Florelli
1991: Simon courage de Patrick Ardis
1995: A comme Acteur de Frédéric Sojcher
2002: Oxalá (2002) de Patricia Atanazio
Televisão
1988: Elvire-Jouvet 40 de Benoît Jacquot: Claudia (captation)
1989: Les Nuits révolutionnaires (série de TV)
1990: L'Inspecteur Lavardin: Diable en ville (Le Diable en ville): Charlotte
1994: Jenseits der Brandung (TV): Therese
1995: Maria fille de Flandre (TV): Maria
1996: La Femme rêvée: Marie-Ange
1996: Saint-Exupéry: La dernière mission: Consuelo
1996: Attends-moi: Jeanne
1996: Sans mentir: Brigitte
2001: Marafona (filme) (TV): Maria Viola da Silva
2003: Anomalies passagères: Luna
2005: Vénus & Apollon (série TV): Suzy
2005: La Belle et le sauvage de Bertrand Arthuys: Alice/Elsa
RealizaçãoEditar

1987: Sévérine C
1988: Fragmento II
1991: A Morte do Principe
2000: Capitães de Abril
2003: Je t'aime... moi non plus: Artistes et critiques
TeatroEditar

Actriz
1986: Elvire Jouvet 40 encenação Brigitte Jaques, Théâtre national de Strasbourg, Théâtre de l'Athénée-Louis-Jouvet,
1987: Théâtre des Treize Vents, Théâtre de l'Athénée-Louis-Jouvet, turné
1988: O Publico de Federico Garcia Lorca, encenação Jorge Lavelli, Théâtre national de la Colline
2009: Sextett de Rémi de Vos, encenação Éric Vigner, Théâtre du Rond-Point
2013: Aos Nossos Filhos, de Laura Castro, encenação João das Neves, turnê
Encenação
2006: A Little more Blue, musical
2007: London London, musical
2008: Na Fotografia estamos Felizes, com Danile Blaufuks, Festival Temps des Images Lisboa.
2009: Musica et Révolutção, musical, Casa da Música Porto com Sanseverino
2010: Tribute to Jim Jarmusch, com The Legendary Tigerman, aka Paulo Furtado, Festival Temps d'images, La Ferme du Buisson.
2010: Cabaret Social Songs, com Mauro Gioia, musical, Roma Italia.
2011: Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar ? d'Antonio Lobo Antunes, MC93 de Bobigny, Teatro São Luiz Lisboa
DiscografiaEditar

Álbuns de estúdio
2007: A Little More Blue
2010: Penínsulas & Continentes
2013: Pássaros Eternos
Participações
A Fabrica dos sons 2005.
Drama Box de Mísia. 2005.
Rendez-vous Chez Nino Rota, CD+DVD do italiano Mauro Gioia, com Adriana Calcanhotto, Martirio, Ute Lemper, Catherine Ringer, Susana Rinaldi e Sharleen Spiteri. Maria canta La pappa col pomodoro 2008.
Femina. The Legendary Tigerman Maria de Medeiros canta These Boots Are Made for Walkin'. 2009.
Señora (ellas cantan a Serrat). Maria de Medeiros canta Nanas de la Cebolla. 2009.
DistinçõesEditar

Nomeações
1990: Prémio Gérard Philipe França
1994: Coppa Volpi - Mostra de Veneza. Melhor actiz. Filme Três Irmãos
1994: Jaguar de Oro Festival de Cine de Cancún, Mexico. Melhor actiz. Filme Três Irmãos
1996: Faro Europa Espagne. Prémio a carreira. Alfaz del Pi.
1996: Prémio Génio para a Melhor Actriz num papel de apoio no filme francês Le Polygraphe
2000: Grande Prémio Mostra Internacional de cinema São Paulo (Brésil). Filme Capitães de Abril
2000: Prémio do Público Festival CINESSONNE. Filme Capitães de Abrill
2000: Prémio do Público Festival De Arcachon. Filme Capitães de Abril
2001: Globo de Ouro, Portugal, Melhor Actriz. Filme Capitães de Abril
2001: Globo de Ouro. Portugal. Melhor Filme Capitães de Abril
2003: Chevalier des Arts et des Lettres França
2002: Melhor Actriz Mostra Internazionale del Film di Fantascienza e del Fantastico Roma, filma Stranded de Luna Ibañez (Espagne)
2005: Prix Flaiano et Prix Rodolpho Valentino a melhor interprete fémenina por Il Resto di Niente d’ Antonietta de Lillo, en Italie.
2008: Artista da UNESCO para a Paz
2010: Prémio a carreira Festival Iberico de Badajoz, Espanha.
Casamento e descendênciaEditar

É casada com Agustí Camps i Salat, um cenógrafo espanhol catalão, filho de Joaquim Camps e de sua mulher Maria Salat, com quem tem duas filhas, Júlia (1997) e Leonor (2003).

Referências

Globo.com
http://www.ordens.presidencia.pt/

quinta-feira, janeiro 01, 2015

"15", o novo CD/EP de Gritali

"15"

1- "Confrontos na feira"
2- "Campo, eira, quintal"
3- "Adeus, volto já"
4- "Festa na côrte"
5- "Emoções do silencio"

Ano: 2015
Zagati Prod.

http://gritali.blogs.sapo.pt

http://www.reverbnation.com/gritali