quinta-feira, abril 29, 2010

uaninauei . chamas em mim

Portugueses :papercutz conquistam prémio no International Songwriting Competition (ISC)

O projecto :papercutz ficou no segundo lugar da categoria Dance/Electronica da International Songwriting Competition (ISC), e arrecadou cerca de 2.000 dolares em prémios neste conceituado concurso Americano que este ano contou com mais de 16.000 canções a concurso.

Os portugueses concorreram com o tema "A secret search", que integra o seu trabalho de estreia "Lylac", lançado em Portugal em 2009, pela editora canadiana Apegenine Records.

A International Songwriting Competition, é uma competição que pretende destacar os melhores novos compositores da canção de todo o mundo, dentro de várias categorias: AAA (Adult Alternative), Americana, Folk/Singer-Songwriter, Country, Dance/Electronica, Gospel, Jazz, Instrumental e World Music. No júri figuram nomes conceituados como Tom Waits, Robert Smith, Kings of Leon, entre outros.

Entre os restantes finalistas Portugueses que figuravam a concurso (Rita Redshoes, A Jigsaw, Pikoul Sisters e Mariária) sairam também vencedores os Mariária com segundo lugar na categoria World Music.

Esta não é a primeira vez que artistas portugueses são reconhecidos nesta competição. Em 2008, Mazgani, ficou no terceiro lugar na categoria Adult Alternative, com o tema "Somewhere Beneath This Sky", .

Ligações:

Myspace oficial: www.myspace.com/papercutzed
Site Oficial: www.papercutzed.com

MELECH MECHAYA NO COLISEU DOS RECREIOS EM LISBOA NA PRIMEIRA PARTE DO EMIR KUSTURICA & THE NO SMOKING ORCHESTRA


Os Melech Mechaya farão a primeira parte do concerto de Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, no próximo dia 9 de Junho pelas 21h30. O quinteto português irá apresentar temas do seu disco “Budja Ba” e ainda alguns temas novos, numa noite que se espera de grande alegria e festa. Os bilhetes estão à venda na Ticketline e locais habituais.



A digressão de “Budja Ba” levará a euforia klezmer dos Melech Mechaya um pouco por todo o país, passando já no mês de Maio por Silves (dia 1), Queima das Fitas do Porto (dia 7), e Estarreja (dia 22).

sábado, abril 17, 2010

Concerto-comício! Os Irmãos Catita no Maxime!


Como explicar às novas gerações o fervor contido em expressões típicas do pós-revolução, como “A terra a quem a trabalha”; “Nem mais um só soldado para as colónias” ou “Casas sim, barracas não”?
Como explicar à geração Facebook – que vive aparvalhada por ecrans de computador, de telemóveis, multibancos, GPS’s, touchscreens, etc – que cá fora, na vida real, o coração batia cá dentro com o mesmo fulgor de uma paixão assolapada, ao seguir as notícias – que eram notícias! – de presos libertados, herdades ocupadas, fascistas emigrados, e céus avermelhados?
Como explicar o que se sentia ao ouvir “A liberdade está a passar por aqui”?
Só há uma entidade competente para desempenhar essa espinhosa tarefa chamada “Mil Emoções De Abril Contadas Às Crianças E Lembradas Ao Povo” – Os Irmãos Catita!
Sim, Os Irmãos Catita realizam um comício-concerto comemorativo da “Revolução dos Cravos” na única sala vermelha de Lisboa que não é uma sede do SLB nem um restaurante chinês – o Maxime!
Por questões de calendário, a efemér(d)ide que celebra o lançar da senha “Quis Saber Quem Sou/Grândola Vila Morena”, realiza-se na noite de 23 de Abril de 2010, inserido nas festas do festival INDIELISBOA 2010, e com o espírito – sim, o espírito – das quatro da madrugada de 25 de Abril de 1974!

Sugestão de Raul Solnado: façam o favor de ser felizes!
Sugestão de Mao Tse Tung: Lin chung wang chop soy ping pong
Sugestão de Bob Dylan: Smoke pot, not war
Sugestão de Camilo Alves: Só mais um copo, para brindar à revolução!
Sugestão do Capitão Haddock: Apo- poi-iado (hic)!
Sugestão do chefe: tragam cravos vermelhos em vez de telemóveis!

sexta . 23 abril . 2010
cabaret maxime . pç. alegria, 58 em lisboa
abertura de portas 22h . espectáculos 23h30 . bilhetes €10
reserva mesas: 213467090 . 967045836 . 916350427


mais informações tm 962804368
produção . promoção . agenciamento
www.banana.com.pt

CLEAN FEED

A CLEAN FEED nasceu em 2001 pelas mãos de uma equipa com experiência na indústria discográfica, entre os quais Pedro Costa, ex-coordenador das secções de jazz das lojas Valentim de Carvalho e da secção de música da FNAC. Hoje a equipa da CLEAN FEED é composta por Pedro Costa, Carlos Costa, Hernâni Faustino, Ilídio Nunes, Travassos, Madalena Borges e Ricardo Leiria. Com sede na loja Trem Azul, na Rua do Alecrim 21-A, em Lisboa, a CLEAN FEED pretende continuar a marcar o jazz contemporâneo, acima de tudo, com a sua paixão e dedicação.

Para mais informações, contacte:

Nádia Sales Grade
Assessora de Imprensa
Tlm: 966 404 444
press@tremazul.com

AND THE MISSING R


AND THE MISSING R é um álbum dos Tetterapadequ, onde o jazz é a raiz da linguagem musical improvisada que o colectivo formado por Gonçalo Almeida (baixo), Giovanni di Domenico (piano), João Lobo (bateria) e Daniele Martini (saxofone) começou a desenvolver no De Pater jazz club, em Haia, na Holanda. Além dos conteúdos típicos do jazz, como construções harmónicas e padrões rítmicos, os quatro jovens músicos apresentam em AND THE MISSING R um novo dialecto musical, o «confusionismo», formado por estruturas improvisadas e composições espontâneas que surpreendem o ouvinte, com resultados bizarros e inesperados.

Concertos
Domingo, 18 de Abril, às 20 horas.

Carlos Bica + Matéria Prima


Carlos Bica + Matéria Prima, um álbum composto por temas gravados ao vivo em salas de espectáculo portuguesas de renome (Culturgest, Casa da Música e Museu do Oriente), destaca o talento do músico enquanto contrabaixista, arranjador e escritor de canções, acompanhado pelos não menos talentosos João Paulo (piano), Mário Delgado (guitarra), João Lobo (bateria) e Matthias Shriefl (trompete), menino prodígio do novo jazz alemão. Composto por oito temas originais e duas versões – uma de Marc Ribot e “Paris Texas” de Ry Cooder – o álbum transmite o fervilhar de emoções provocado nos concertos ao vivo de Carlos Bica + Matéria Prima e as inúmeras influências que caracterizam o trabalho do contrabaixista que já colaborou com músicos desde Maria João, a Alexander von Schlippenbach, John Zorn, Paolo Fresu e Markus Stockhausen.

Concerto
Domingo, 18 de Abril, às 22h30.

Bernardo Sassetti Trio Motion


O álbum MOTION soma mais de 12 anos de existência do trio formado por Carlos Barreto (contrabaixo), Alexandre Frazão (bateria) e Bernardo Sassetti (piano). MOTION abre com um surpreendente arranjo jazzístico de um tema de Mark Linkous para a banda de rock alternativo Sparkle Horse, e inclui uma refinada versão do compositor contemporâneo catalão Frederico Mampou. Um álbum não fechado em si mesmo, de emoções secretas e com a essencialidade obtida por meio do uso de poucas mas essenciais notas, que apresentam belas suites compostas por Sassetti, que tem marcado internacionalmente pela composição de bandas sonoras para cinema.

Concerto
Sábado, 17 de Abril, às 21 horas.

Quatro nomes portugueses em Julho no Exit Festival, um dos maiores festivais Europeus de música.

Portugal vai marcar presença em Julho no Exit Festival, um evento de música na Sérvia, com a presença dos :papercutz e dos DJ Ride, Rui da Silva e Stereo Addiction num placo por onde já passaram os Buraka Som Sistema.

O Exit Festival decorrerá de 8 a 11 de Julho em Novi Sad, na Sérvia, e conta no cartaz este ano com nomes como LCD Soundsystem, Faith no More, Chemical Brothers, Röyksopp, Placebo, Juliette Lewis, DJ Shadow ou Crystal Castles.

Depois de terem tocado em Março no festival South by Southwest, no Texas, os :papercutz voltam a sair do país para apresentar na Sérvia o álbum de estreia, "Lylac", e temas de um novo registo, a editar este ano. A eles juntam-se a dupla de DJ Stereo Addiction, de Gustavo Rodrigues e John-E, Rui da Silva e DJ Ride, que acaba de lançar o álbum "Psychedelic Sound Waves".


Ligações:

MySpace oficial: www.myspace.com/papercutzed


Site Oficial: www.papercutzed.com

Site Exit Festival: http://www.exitfest.org/

Sobre o festival : http://en.wikipedia.org/wiki/EXIT_(festival)

Uptown Bar »» Jam sessions

sábado, abril 10, 2010

Bass-Off lançam álbum de estreia “Ohmónimo” no dia 12 de Abril

Detentores de um rock alternativo experimental com influências indie, os Bass-Off, provenientes das Caldas da Rainha, lançam para o mercado no próximo dia 12 de Abril, segunda-feira, o álbum de estreia intitulado “Ohmónimo”.
Composto por nove faixas, este álbum é o resultado da participação vitoriosa na edição de 2008 do mítico Festival Termómetro, organizado por Fernando Alvim, e da conquista do primeiro lugar no concurso MTV/Levi’s 501 Live Unbuttoned. O single do álbum, “Whatever”, é o cartão-de-visita deste trabalho onde as guitarras rasgantes se aliam ao noise e ao rock puro e duro que a banda das Caldas da Rainha faz questão de protagonizar.
Os Bass-Off surgiram em 2004 pelas mãos de Joe (guitarra e voz), Né (guitarra e voz) e Nuno (bateria e voz) que no mesmo ano gravaram o primeiro EP intitulado “Life is not na EP”. O registo valeu-lhes uma actuação no Festival Gorumelo Rock, em Espanha, com os Yellow W Van e a abertura dos concertos de Pedro Abrunhosa. Dois anos mais tarde, a banda volta a estúdio para apresentar o segundo EP “Rouge” que lhes permite nova incursão à terra de nuestros hermanos para um espectáculo na Sala Mercantil, em Badajoz. Em 2009, os Bass-Off sobem ao palco do Super Bock em Stock e já no início deste ano concretizam um conjunto de datas em Londres.
Mais informações sobre a banda em:
www.myspace.com/bassoffband

VirgemSuta . Virgem Suta - Reedição


Depois de terem percorrido todas as ‘capelinhas’ do País, os Virgem Suta re-editam o seu álbum de estreia. Com 2 temas novos e um DVD com 8 músicas ao vivo, este repackage chega às lojas na segunda feira, dia 19, três dias depois da banda se apresentar ao vivo no Campo Pequeno, na primeira parte do concerto do Mika. Esta será a primeira vez que os Suta se apresentarão em Lisboa com a banda completa, a qual, para além dos dois el­ementos fundadores, conta com o contributo de Nuno Rafael (Sérgio Godinho e Humanos), Sérgio Nascimento (Sérgio Godinho, David Fonseca e Humanos), João Cabrita (Sérgio Nascimento).

Mão Morta . Pesadelo em Peluche


A celebrar agora 25 anos de carreira, os Mão Morta editam a 19 de Abril o seu novo álbum de originais e o primeiro com selo da Universal Music Portugal, “Pesadelo em Peluche”. O álbum tem doze temas, incluindo o primeiro single já a rodar nas rádios, “Novelos da Paixão”, e “Como um Vampiro”, que conta com a colaboração de Fernando Ribeiro, vocalista dos Moonspell. A apresentação oficial de “Pesadelo em Peluche” está marcada para dia 29 de Abril, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

Pedro Abrunhosa& Comité Caviar . Longe


Três anos depois de “Luz”, Pedro Abrunhosa regressa – e parte para “Longe”. Um disco que corresponde rigoro­samente à sua necessidade de mudança e de quebrar rotinas e fórmulas resolventes. Mudou muito: a equipa técnica, com a chamada de João Bessa ao posto-chave de co-produtor; a banda de apoio, dando entrada ao Comité Caviar (Cláudio Souto nos teclados e órgão, Marco Nunes e Paulo Praça nas guitarras, Miguel Barros no baixo, Pedro Martins na bateria e na percussão, Patrícia Antunes e Patrícia Silveira nos coros) que, fundamental na gravação do álbum, será decisivo na passagem ao palco.

Mudou ainda mais no som, correspondendo a um apelo interior de rumar à essência e de deixar emergir outras raízes impolutas – aos seus amores no jazz e no funky e aos seus mestres na canção europeia, Pedro Abrun­hosa acrescenta agora o valor do grande som do rock de tónica americana. “O Que Ainda Não Foi Feito” valeu como primeira amostra, como entrada para um salão de festas em que, longe de qualquer baile de máscaras, se namora a verdade perene das canções, cheias de guitarras, pautadas pelo velho Hammond. Há pontos de contacto com o currículo, claro. Mas há muito para descobrir – se Pedro Abrunhosa, com toda a legitimidade, se orgulha do seu passado, aquilo que o motiva é mesmo este presente, orgânico e perene.

terça-feira, abril 06, 2010

General Inverno (FINALMENTE) no Myspace!!!!



www.myspace.com/generalinverno

Biografia de General Inverno (parte 1)



Biografia (tirado do mkyspace do grupo de Cete/Ermesinde):

"O genEral inverno nasce em Dezembro de 1987 com Alcino Duarte (bateria), Jorge Seabra (voz), Paulo Andrade (guitarra), Pedro Beck (guitarra) e Nuno Rocha (baixo), contando ainda com a colaboração de Carlos Bessa (letras) e Henrique Gomes (arranjos vocais). O grupo estreia-se em Janeiro de 1988 no programa “Ao Vivo” da Antena 1, actuando em directo do Instituto Francês do Porto. Participa no 1º Festival Luso-Galaico de Rock ao Vivo, tendo conquistado o 1º lugar. Após 2 anos de concertos efectuados na cidade do Porto e região Norte de Portugal e da gravação de uma maqueta com 6 temas nos estúdios Fortes & Rangel e AuraStudio, sempre contando com a participação de Jorge "Rosca" Moreira como técnico de som, o grupo é remodelado, passando a contar com Nuno Fernandes no baixo e Nuno Gouveia na guitarra. Para a posteridade fica a garra demonstrada em memoráveis actuações ao vivo, e a composição de temas originais como TOPAS, MADE IN JAPAN, SOTABALDA, ATÉ PORQUE, SAL AR E OS, GENERAL INVERNO, POIS, ISLAMIBEROLÉ, SARITA NO ARAME, CINEMA S, SUSHI SADA, SUPER SOUSA E JACARÉ, temas que irão sendo colocados neste espaço para partilhar com quem possa ainda gostar de rock original cantado em português. "

Blog MP: Sem dúvida, romperam barreiras, e o Jorge Seabra (criador do myspace) deve acrescentar algo mais como a actuação na RTP1 no programa "Às 10" (actual "Praça da Alegria") ou mesmo a partilha do mesmo palco com os Sitiados de João Aquarela.
E fico contente por este arranque via internet de General Inverno ter sido puxado por mim.
Foram uma referencia na altura para quem os conheceram, e ainda para mais, o técnico de som é bem conhecido meu: Jorge Cardeal Moreira.

sexta-feira, abril 02, 2010

Nu Soul Family apresentam álbum de estreia


«Never too late to Dance» é o manifesto de dança dos Nu Soul Family. O colectivo chega ao mercado no próximo dia 26 de Abril. A cultura club, os clássicos do disco e a pura house music marcam as principais influências do grupo. Numa espécie de «Casa da Família» este é o som natural de individualidades muito fortes e um conjunto coeso.

Virgul (Da Weasel) e Dino (Operação Triunfo, Expensive Soul, Soulmotion) são as referências vocais das viagens sonoras de DJ Alan Gul e do baixo groovie de Bassman.

Num momento de pausa da carreira dos músicos, o quarteto juntou as vontades em criar algo de diferente. Além da admiração mútua entre os elementos, a linha musical que os unia era única, musica de dança.

A partir de meados de Abril de 2009, o quarteto reuniu ideias para um disco com personalidade dançante. As colaborações à posteriori amplificaram as opções. Descendente de jamaicanos, o norte-americano Atiba («New Soul») abordou o ragga mais tradicional, enquanto que Jennifer - «Ca Bo Deixa (Mi So)», "não me deixes sozinho" em tradução livre - e Caty - «I just wanto be Free» - trazem a sensualidade feminina ao universo Nu Soul Family.

A presença em galas de rádios nacionais, Rock in Rio, 1ª parte dos Black Eyed Peas, entre outros festivais de verão, são já datas garantidas para actuação deste projecto.

O tema «This is for My People» é já um dos temas mais rodados nas rádios nacionais.

"ROSA À JANELA" - É O SINGLE DE ESTREIA DE UM NOVO PROJECTO DE NOME " BAILE POPULAR "!!!


“ROSA À JANELA” É O SINGLE DE ESTREIA DE UM PROJECTO QUE REÚNE EM DISCO JOÃO GIL, MÁRIO DELGADO, ALEXANDRE FRAZÃO, MIGUEL AMADO, PAULO RIBEIRO, ZÉ EMÍDIO, LUIS ESPINHO E JOÃO PAULO. LETRAS DE JOÃO MONGE. ÁLBUM: EDIÇÃO PREVISTA PARA MAIO DE 2010





“Rosa à Janela” é o do tema de apresentação do álbum de estreia do projecto Baile Popular. Com letras de João Monge e músicas de João Gil, o Baile Popular é composto por João Gil, Mário Delgado, Alexandre Frazão, Miguel Amado, Paulo Ribeiro, Zé Emídio, Luís Espinho e João Paulo. Quatro vozes, quatro instrumentistas, compõem este Baile onde a música Popular se funde com outros universos. A palavra ao compositor:



“Eu e o João Monge somos amigos de infância. Pode parecer estranho, mas pode ser também um princípio para uma boa conversa.

Quando fizemos o “ Rio Grande “ tínhamos uma história entre dois rios, como se a água fosse a fronteira de uma vida melhor. Dessa maneira contámos e cantámos com quem e como é que as cidades se formam e se fazem.

Procurei na altura as pessoas e as vozes que melhor traduziriam o espírito e o som das ideias.

Passados 14 anos, as ideias mantêm-se intactas, mas desta vez fui directamente à fonte das palavras.

O Povo Alentejano tem um cantar único e próprio que definem um País único com uma língua poeticamente paradisíaca.

A paisagem do sul cruza-se neste Baile Popular com universos que vão desde o Nordeste Brasileiro, até à roullote estacionada algures no deserto Americano numa qualquer história de motel.

Aqui se conta a “ Venda do Isaías “ onde se compra e tudo se vende, do “Mestre Bento “ e da sabedoria dos mais velhos, do “ Mal Passado “ e de quanto ele passa mal, da “ Moda da Mine “ da “ Rosa à Janela “ e da “ Rosa Albardeira “ e por aí fora até à eternidade que é coisa que está para lá do Sol posto.

O Zé Emídio, o Luís Espinho, o Paulo Ribeiro, o João Paulo são as vozes. Eu, o Mário Delgado, o Alexandre Frazão e o Miguel Amado armamos o resto do Baile.

Estamos aqui a lidar com a Música Popular, estamos aqui a contar algo que faz parte da história do nosso País.

Peguem na mão de quem amam e venham até para lá do horizonte e até que o Sol nasça, dancemos e cantemos este Baile Popular.”





BAILE POPULAR SÃO:

Vozes de Paulo Ribeiro, Zé Emídio, Luís Espinho, João Paulo

Guitarra Acústica: João Gil

Guitarra eléctrica: Mário Delgado

Bateria: Alexandre Frazão

Contrabaixo e baixo eléctrico: Miguel Amado



O single “Rosa à Janela” já se encontra a tocar nas rádios.

Pode ouvi-lo em www.myspace.com/bailepopular

Drill no Lounge a 16 Abril e mais musica nova

Guilty Pleasures no Myspace


www.myspace.com/guiltysounds

José Cid no Maxime! A música que faz parte do nosso DNA!

Maria de Medeiros La Dolce Vita Penínsulas & Continentes

Maria de Medeiros actua em Lisboa e Gaia


O novo álbum de Maria de Medeiros, intitulado «Penínsulas & Continentes», é apresentado ao vivo em Lisboa (São Jorge) e Vila Nova de Gaia (Auditório).
Os concertos acontecem a 7 e 8 de Abril, respectivamente (20:00).



A recepção da imprensa ao novo trabalho de Maria de Medeiros tem sido o comprovativo absoluto de que o disco surpreendeu e conquistou de forma massiva.


Numa viagem musical pelas memórias da artista, o segundo trabalho de Maria de Medeiros mescla clássicos como «Muxima», dos Duo Ouro Negro, a novos clássicos - vide «Tudo Por Acaso», de Lenine.

Num disco eclético, as influências várias de Maria de Medeiros são reconhecidas em momentos tão amplos como nas revisitações ao italiano Nino Rota e ao cancioneiro popular português escrito pelas mãos de Zeca Afonso, Sérgio Godinho e Amélia Muge, entre outros.

Após «A Little More Blue», Maria de Medeiros regressa aos discos em nome próprio com «Penínsulas & Continentes», que já se encontra à venda por todo o país.



Os concertos de apresentação contarão com a participação especial de The Legendary Tigerman.

Corsage, 2 de Abril @ Fábrica do Braço de Prata

MELECH MECHAYA NO TEATRO VILLARET - DIA 12 DE ABRIL, 21H30



MELECH MECHAYA NO TEATRO VILLARET

DIA 12 DE ABRIL, 21H30



Os Melech Mechaya, banda portuguesa de música klezmer, actuam no próximo dia 12 de Abril pelas 21h30 no Teatro Villaret, em Lisboa.

O quinteto regressa à capital com o álbum “Budja Ba” na bagagem, num espectáculo onde irá apresentar também alguns temas novos.



O Teatro Villaret, fundado em 1964 por Raúl Solnado, reabre agora novamente ao público e é espera casa cheia para a recepção aos Melech Mechaya.

Depois das 700 pessoas na festa de passagem de ano no Santiago Alquimista, a banda promete uma noite alegre e divertida.

Os bilhetes estão à venda na Ticketline e locais habituais.

Auditório José Duarte »» Agenda

Sábado
03/04/2010
22:00

Entrada: 8,00€ Claire Michael Quartet Portugal Tour

“Claire Michael et Jean-Michel Vallet ont trouvé avec leur formation le parfait équilibre entre les styles. Les trouvailles sonores, et leur habileté dans l’improvisation confèrent à cet ensemble une grande originalité. Certainement l’un des groupes phares actuellement dans ce domaine. A ne surtout pas manquer!“ - DIDIER LOCKWOOD.

Claire Michael tem participado em festivais de Jazz um pouco por todo o Mundo.
Já tiveram o privilégio de a ouvir, no saxofone tenor, alto, flauta ou na voz, em cidades, países e Festivais de Jazz de renome como Montauban, Jazz in Marciac, Des Rives et des Notes (Oloron), Ouro Preto Jazz Festival (Brasil), Belo Horizonte (Brasil), Festival Internacional de Jazz de Baku (Azerbaijão), Festival Interartes Capivara (Brasil ), Intönnen Jazz Festival (Áustria), entre outros. Pela Europa actuou também em diversos palcos como o New Morning, Sunset, Duc des lombardos, Diário, Porgy & Bess (Viena), Casino de Paris, TLP Dejazet, Circo de Inverno, etc.

Claire Michael tem um som puro e macio, um fraseado delicado e cuidado, que emerge como um perfume nostálgico.
Melhor que falar, nada como vê-la e ouvi-la nos players no nosso site. Desfrute; vai ver que vale a pena!

Claire Michael - Saxofones, Flauta e Voz
Jean-Michel Vallet - Piano
Patrick Chartol - Baixo
Thierry Le Gall - Bateria


--------------------------------------------------------------------------------

4ªs Feiras
14/04/2010
21/04/2010
28/10/2010
21:30

Entrada: LIVRE "O Jazz Bem Disposto!" - Quarteto Sandro Norton

Quem tem já um(s) bom(s) par(es) de anos em cima, lembrar-se-á com certeza das sessões que passavam na RTP2, da autoria do Maestro Leonard Bernestein, sobre as Orquestras, a música, os compositores, as pequenas histórias e, claro, palestras estas sempre bem regadas com boas e bem tocadas músicas. Era para todos, E todos (ou)viam.
Foi precisamente a nostalgia desses "outros" tempos que nos levaram a pensar e transportar a mesma ideia para estas "outras" músicas. O Jazz... para todos!

Impulso do Prof. Sandro Norton, docente da Escola Jazz Ao Norte, pretender-se-á, então, comentar e falar do Jazz de uma forma muito bem-disposta mas igualmente bem disposta, isto é, onde as coisas, histórias, técnicas, composições e a própria música tenham o seu lugar de uma forma contínua, temática e programada, mas ao vivo e bem tocada.

Será assim todas as 4s feiras, às 21:30, durante as semanas que nos aprouver. E que o público queira, obviamente.

Sandro Norton - Guitarra
João Salcedo - Piano
Carl Minnemann - Contrabaixo
Tó Torres - Bateria
De entrada livre, espera-se assim, em forma de concerto-palestra, conseguir aproximar o Jazz da população e esta da Escola, dos Alunos e dos Professores que a integram.
Todos, sem excepção, serão muito bem-vindos!


--------------------------------------------------------------------------------

Sábado
24/04/2010
22:00

Entrada: 8,00€ Kaja Draksler / Susana Silva Quarteto

Kaja Draksler nasceu em 1987 na cidade de Ljubljana, na Eslovénia.
Desde cedo que está ligada à música (sempre ao piano) mas foi em 2005 que fez a sua aposta decisiva ao continuar os seus estudos no "Prince-Claus Conservatorium" (em Groningen, Holanda) como aluna de Marc van Roon (NL), Michael Moore (E.U.A.) e David Berkman (E.U.A.).

No Verão de 2007 vem o primeiro disco, resultado de uma tournée com o seu novo grupo da Holanda "Katarchestra".
Até lá, tem actuado na Big Band STAGEBAND (vencedora de Concursos para "Big Band"s em 2004, 2006 e 2007), em 2005 trabalhou como membro do Quinteto de Suna (mistura dos Balcãs / música oriental com Jazz). Desde 2006 que integra a "Kristijan Krajncan Contemporary Jazz Ensemble"; em Agosto foi laureada no Concurso "Jazzon", para a melhor composição Eslovena.

Foi precisamente nesse mesmo ano que entrou para a "European Movement Jazz Orchestra", onde conheceu e partilhou o palco com a nossa "única" trompetista Susana Silva.
Em 2009 nasce o projecto em conjunto, em forma de standards do Jazz e canções originais, que surge de uma vontade mútua de partilha de emoções e experiências em palco. A paixão pela música recria-se a cada concerto e chega até ao ouvinte em estado puro.

Susana Silva - Trompete
Kaja Draksler - Piano
José Carlos Barbosa - Contrabaixo
José Marrucho - Bateria
Qualquer um deles, não é a primeira vez que pisam o palco do Clube Jazz Ao Norte.
É pois com imenso prazer que os recebemos de novo!